sábado, 21 de setembro de 2013

MERCADO CENTRAL DE FORTALEZA

Fachada entrada
detalhe lojas
redes de todos os tipos
stand cheio de azulejos
escolhendo entre mil opções
Santa Ceia nordestina
detalhe figuras
 
Artesanato de qualidade. Redes e roupas atrativas. Comidas e doces típicos do Ceará. Preços convidativos das mercadorias. Estes são alguns dos atributos do Mercado Central de Fortaleza. Um passeio imperdível para visitantes, turistas e para o público em geral.
 
Visitei o Mercado Central de Fortaleza em uma manhã de domingo. As lojas estavam abertas em sua maioria. Nesta visita reserve tempo, pelo menos 4 horas. Há muito o que se ver. No entra e sai de lojas, devo ressaltar a cordialidade e presteza dos vendedores. Vai também uma dica dá para pechinchar no preço e conseguir bons descontos. Não compre na mesma hora, dê uma circuladinha.
 
O Mercado Central é um espaço tipicamente cearense. Ali está um cartão de visita de nossa cultura. Seja pelos produtos a venda, seja pelo atendimento dos vendedores. E este espaço tem mais de 200 anos de existência. Seu primeiro prédio era de madeira, ainda nos idos de 1809, quando foi autorizada sua edificação pela Câmara Municipal. Naquele momento eram comercializados carne, fruta e verdura. Estes produtos não estão no cardápio do Mercado Central hoje, devendo os interessados se dirigirem ao Mercado São Sebastião, outro espaço interessante de se visitar.
 
Reforma após reforma, o Mercado Central passou por muitas mudanças até chegar ao estágio atual com estacionamento, restaurantes, banheiros, 559 boxes em cinco pavimentos. Trata-se de um espaço a visitar e conferir.

SABEDORIA POR SÃO BEDA

"Há três caminhos para o fracasso: não ensinar o que se sabe, não praticar o que se ensina, não perguntar o que se ignora."

São Beda

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

DOM RUFINO: BISPO DAS FAMÍLIAS

Entregando a medalha Américo Barreira - Local Igreja de Santa Terezinha
Neste fiz a homenagem a Dom Rufino, sob as bênçãos de Padre José Maria e de mais dois bispos: Dom Ângelo e Dom Adélio. Ao lado também estava a então Presidente da Câmara Edi Leal.
Público presente: era festa de aniversário de ordenação de Padre José Maria
Os três bispos de Quixadá
 
Humildade, tranquilidade, maciez nas palavras, sensibilidade com as causas sociais, apoio aos projetos estratégicos para Quixadá e região, pastor das famílias.... Estas são as marcas do primeiro bispo de Quixadá: Dom Joaquim Rufino do Rego.
 
Durante a minha vida tive diversos momentos com Dom Rufino. Estudei em um colégio religioso (Ginásio Waldemar Alcântara, antigo Colégio Padre) e eram constantes as solenidades religiosas que tinham a honra de contar com a presença do bispo. Suas palavras eram sempre de aconselhamento, de respeito às pessoas, de convivência harmoniosa, de incutir nos jovens princípios morais de dignidade e bondade.
 
No seu bispado em Quixadá foi um pastor das famílias. Conhecia as pessoas, tinha um fino trato com cada um que a ele se dirigisse. Era alguém que poderíamos considerar próximo e amigo. Apoiou os movimentos que reivindicavam direitos para os mais desassistidos. Incentivou a organização de Pastorais. E delas participava, tendo ai criado elos mais fortes de ligação com as comunidades. Vendo o atual Papa Francisco defender que a Igreja se aproxime das pessoas, recordo que Dom Rufino tinha esta marca como característica principal.
 
Dentro das causas para região, foi um defensor de primeira hora da implantação de uma universidade no Sertão Central. Foi com seu apoio que vimos o sonho da Universidade Estadual se tornar realidade à época, através da FECLESC (Faculdade de Ciências de Letras do Sertão Central). Na foto histórica da pedra fundamental está lá sua presença marcante.
 
Fui acólito em muitas cerimônias religiosas. Era um daqueles ajudantes nas missas. Tive o privilégio de participar da missa do "Lava pés" na Semana Santa. Era eu um dos teve os pés lavados pelo bispo. Agora, tanto fazia estar em grandes solenidades, como em missas com pouco público, Dom Rufino era sempre o mesmo pastor calmo e amigo. Era uma voz constante voltada para uma sociedade melhor espiritualmente e socialmente
 
Por onde viveu sua vida deixou um legado. Um legado de fé, de que é possível viver, sob as bênçãos de Deus, contribuindo para um mundo melhor. Antes de sua partida, pude homenageá-lo com a Medalha "Américo Barreira" pelos seus serviços prestados à municipalidade. Foi uma cerimônia emocionante para o público presente e especialmente para Dom Rufino. Claro que esta simples homenagem não é comparável à história deste grande cidadão, mas significou muito para o servo de Deus na Terra. Vi isto nos olhos marejados de emoção quando lhe entreguei a comenda. 
 
Dom Rufino já não está conosco. Entretanto, sei que estás com Deus onde estiver, por toda sua trajetória de vida. Muito Obrigado Dom Joaquim Rufino do Rego. Nosso querido Dom Rufino.
 
 
obs: fotos - Ednardo

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

DESEJOS POR CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

DESEJOS

Desejo a vocês...
Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Filme do Carlitos
Chope com amigos
Crônica de Rubem Braga
Viver sem inimigos
Filme antigo na TV
Ter uma pessoa especial
E que ela goste de você
Música de Tom com letra de Chico
Frango caipira em pensão do interior
Ouvir uma palavra amável
Ter uma surpresa agradável
Ver a Banda passar
Noite de lua cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Não ter que ouvir a palavra não
Nem nunca, nem jamais e adeus.
Rir como criança
Ouvir canto de passarinho.
Sarar de resfriado
Escrever um poema de Amor
Que nunca será rasgado
Formar um par ideal
Tomar banho de cachoeira
Pegar um bronzeado legal
Aprender um nova canção
Esperar alguém na estação
Queijo com goiabada
Pôr-do-Sol na roça
Uma festa
Um violão
Uma seresta
Recordar um amor antigo
Ter um ombro sempre amigo
Bater palmas de alegria
Uma tarde amena
Calçar um velho chinelo
Sentar numa velha poltrona
Tocar violão para alguém
Ouvir a chuva no telhado
Vinho branco
Bolero de Ravel
E muito carinho meu.
 
Carlos Drummond de Andrade (escultura)

OFICINA USO DE EXTINTORES

Instrutor da oficina
Demonstração prática do uso
 
Realizamos na SDA oficina para que servidores de diversos setores pudessem aprender a operar com extintores de incêndio. Tivemos a parceria do Corpo de Bombeiros do Estado do Ceará. Realizamos recentemente aquisição de extintores para todas as dependências da secretaria.

SABEDORIA POR JOHN STUART MILL

"Uma pessoa com crença tem poder social igual a 99 que só tem interesses."
 
John Stuart Mill (foto)

terça-feira, 3 de setembro de 2013

CEARÁ ZONA LIVRE DE AFTOSA - CENAS NA PECNORDESTE

Logo após solenidade no stand da SDA
turma de Quixadá presente
Outra foto com Bebel, Saraiva e Beto Macário

CEARÁ ZONA LIVRE DE AFTOSA

Hoje tivemos uma bela solenidade na PECNORDESTE que abrilhantou uma grande conquista para o Estado do Ceará: o status de estado livre de aftosa com vacinação. Para se chegar a este dia, com o Governador Cid Gomes recebendo esta certificação, foi uma longa jornada.
 
Uma jornada que envolveu muitos atores e atrizes em um filme recheado de muito trabalho e dedicação de todos. Foram inúmeras campanhas de vacinação com esforço dos servidores da ADAGRI e da Ematerce, tendo eles que se desdobrar para cumprir tantas atribuições. E depois das campanhas o trabalho não parava; pelo contrário, aconteciam as ações continuadas de convencimento dos produtores, da atividade não sempre agradável de notificar eventuais infratores, entre outras atividades.
 
Deve-se ressaltar que o convencimento dos produtores para a obrigatoriedade da vacinação cresceu ano após ano. Foi realmente um longo percurso de campanhas educativas, de debates e reuniões, de entrevistas nas rádios. Deve-se destacar as entidades de classe dos produtores que ajudaram bastante neste citado convencimento, destacando-se a FAEC e a FETRAECE. Não se pode esquecer também a colaboração da imprensa que muito divulgou sobre as campanhas.
 
Do Governo do Estado exigiu-se muito. Uma reestruturação de sua Agência de Defesa Agropecuária (ADAGRI) com mais servidores, equipamentos e sedes no interior, além de recursos para as duas campanhas anuais. Da equipe da SDA e do corpo diretivo da ADAGRI exigiu-se muita dedicação e planejamento para cumprir as metas propostas e imprescindíveis para este dia histórico de 3 de setembro se tornar realidade. Destaco o apoio decisivo do secretário Nelson Martins na coordenação deste trabalho. Destaco também o Presidente da Adagri Augusto Junior que também não mediu esforços no trabalho e nos pedidos de colaboração (ficou até conhecido como "AI PEDE"). Sem dúvida estes dois conduziram muito bem esta viagem cheia de desafios. Não pode-se esquecer do secretário adjunto Amorim que foi sempre um entusiasta desta empreitada.
 
Como viram, para ganhar uma guerra é preciso muita gente. Não se ganha uma guerra sozinho e esta foi um trabalho realmente de muitas mãos. Parabéns Governador Cid Gomes por propiciar as condições para que a guerra fosse vencida por este batalhão de heroicos servidores públicos, contando com o apoio de uma artilharia oriunda de produtores, associações, prefeituras, etc.  

CRISTIANO E CRISTIANE

Há três anos começamos um relacionamento. Desde então temos vivenciado momentos de amor, paz, amizade e felicidade. Você tem me feito melhor de muitas maneiras. Foi maravilhoso te conhecer e vivermos juntos esta paixão. Brindemos ao nosso amor.

SABEDORIA POR SÊNECA

"O homem que sofre antes do necessário sofre mais do que o necessário."
 
Sêneca

SDA E AS CAPACITAÇÕES

turma de participantes
entregando certificado
mais certificados
Temos procurado dar um dinamismo ao setor de Recursos Humanos na Secretaria do Desenvolvimento Agrário. Para tanto buscamos transformar o Setor que tratava exclusivamente de demandas do funcionalismo para implementar também ações voltadas para a capacitação e autoestima dos servidores e colaboradores.
 
Dentro deste novo aspecto de gerir as questões voltadas para a área de Recursos Humanos realizamos o curso de Otimização dos Serviços de Limpeza voltado o pessoal de serviços gerais. Os depoimentos dos participantes transmitiram a emoção de poder participar de tal curso. Pelos depoimentos, alguns servidores informaram que nos 28 anos de serviço nunca tinham tido esta possibilidade. Falaram da alegria de poder trabalhar em um órgão que possibilita este aprendizado. No final do curso diversos agradeceram pessoalmente pela oportunidade.
 
O curso foi ministrado pelo SENAC e passou noções de prática em serviço, qualidade, trabalho em equipe, entre outros assuntos. A coordenação da atividade ficou a cargo do NUREH (Núcleo de Recursos Humanos), vinculado a minha coordenadoria, com a participação efetiva de Dra. Samara, Dra. Jamile e o bolsista Cláudio Guevara.