sexta-feira, 20 de junho de 2008

CENSURA RETORNA PELA JUSTIÇA ELEITORAL


Causou estranheza e protestos a atitude da Justiça Eleitoral de multar meios de comunicação e a pré candidata Martha Suplicy por terem realizado entrevista em que abordam os mais diversos temas políticos e de interesse da cidade. A decisão fundamenta-se no fato de que estaria havendo propaganda antecipada. Inúmeros protestos aconteceram de jornalistas, entidades de classe e de diversas personalidades. Será a censura novamente acontecendo ? Não nos parece que estaria havendo uma prioridade para determinado candidato pois os demais seriam também entrevistados.
A democracia existe para ser efetivamente cumprida. Parece-me que alguns promotores e juízes querem ser mais rigorosos que a própria lei. É dever da imprensa informar, entrevistar, mostrar a sociedade como se está procedendo o processo político em cada cidade brasileira. Se acontecesse um direcionamento para beneficiar um candidato em detrimento de outros, aí sim estaria efetivada uma ilegalidade. Não como parece que aconteceu este fato.
Levanto este problema pois como fui pré candidato a Prefeitura de Quixadá participei de um programa de entrevistas em uma rádio da cidade. Ao ser convidado fui informado que tinham comunicado à Justiça eleitoral, que os entrevistados teriam o mesmo tempo e que a ordem de entrevista seria definida em sorteio, além do fato de todos os pré candidatos terem confirmado a presença. Para minha surpresa depois fui processado pela Justiça eleitoral e mesmo apresentando toda a argumentação possível, mostrando o convite a mim feito por escrito, fui multado em R$ 25.000,00. Tou recorrendo ao TRE para ver se modifico esta injusta decisão. Hoje não se entrevista nas rádios de Quixadá nem candidato a presidente de associação. Simplesmente lamentável. A Constituição assegura que “nenhuma lei poderá criar dispositivo capaz de criar embaraço à plena liberdade de informação jornalística”. É interesse da população saber e é dever do jornal divulgar o pensamento das diversas forças políticas que disputarão os governos das cidades do país.
Acho que tá acontecendo neste momento por aí muita coisa mais importante para a Justiça Eleitoral do que cercear o direito da população ser informada. Basta ver a distribuição de cestas básicas, óculos, materiais de construção em busca de corromper a vontade soberana do povo.