sábado, 19 de maio de 2018

CAIXA CULTURAL FORTALEZA

                                                                  Belo prédio
                                                                  Pose no jardim

Já falei que Fortaleza tem belos locais a visitar além de suas majestosas praias. Procuro sempre entremear meus finais de semana com o prazer de conhecer espaços históricos, culturais e nostálgicos da cidade. Visitei recentemente o espaço da Caixa Cultural. Desde sua inauguração ainda não tinha tido o privilégio de lá conhecer. Como portão especial de visita pude conferir a exposição "Êxodos" do prestigiado fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado e a exposição "Lágrimas de São Pedro" do artista baiano Vinícius S.A. 

A Caixa Cultural Fortaleza está localizada na Praia de Iracema, em frente ao Centro Cultural Dragão do Mar, próxima da Ponte dos Ingleses e a poucos metros do futuro Aquário do Ceará.

Está instalada no prédio da antiga Alfândega, construção histórica tombada pelo IPHAN, que reúne características únicas de preservação e que funcionou por longos anos como espaço de pesagem, cobrança e armazenamento de mercadorias que chegavam pelo mar à capital cearense. A construção da Alfândega, projetada pelo inglês John Hawkshaw, foi iniciada em 14 de outubro de 1884 e sua inauguração se deu em 15 de junho de 1891. Lá, também já funcionou a Receita Federal e uma agência da Caixa.
Inaugurada em 2012, a Caixa Cultural Fortaleza é composta por um cine-teatro com 181 lugares, três amplas galerias de arte, sala de ensaios, salas para oficinas de arte-educação, foyer, café cultural e livraria, além de um agradável jardim e espaços para convivência e realização de eventos.
Com localização privilegiada, no corredor cultural e turístico de Fortaleza, é servida por diversas linhas de transporte coletivo, estando acessível a toda a população.

TELEFONES 
Informações: (85) 3453-2770
Bilheteria: (85) 3453-2770
E-MAIL: caixacultural.ce@caixa.gov.br
HORÁRIOS 
Visitação: terça a sábado, das 10h às 20h; domingo, das 12h às 19h
Bilheteria: terça a sábado, das 10h às 20h; domingo, das 12h às 19h

Fonte: http://www.caixacultural.com.br/SitePages/home-principal.aspx 

SABEDORIA POR EDWARD THORNDIKE


"As flores murcham, os palácios caem, os impérios se desintegram, só as palavras sábias permanecem..."

Edward Thorndike

sábado, 12 de maio de 2018

ESPAÇO CULTURAL UNIFOR

                                                             Belas obras de arte
                                                        Estrutura moderna e ampla
                                                               Espaços diversos
                                                             O verde circunda o espaço

Fui aluno da Unifor por diversos anos e não conheci este espaço maravilhoso da cultura que é o Espaço Cultural Unifor. Simplesmente sensacional. É incrível que saiamos pelo mundo a visitar museus, locais históricos e galerias de arte e não conhecemos espaços maravilhosos na cidade em que a gente mora. O local é agradabilíssimo. Há um conjunção entre o verde e a arte. Com estrutura moderna possibilita um desfrutar tranquilo e sereno da arte seja na pintura, escultura, enfim de nossa história. 
Inaugurado em 1988, o espaço já abrigou exposições exclusivas, nacionais e internacionais, como Rembrandt, Candido Portinari, Miró, Beatriz Milhazes, Antonio Bandeira, Vik Muniz e Burle Marx, além do destaque à arte regional, como a Arte Brasileira nas Coleções Públicas e Privadas do Ceará, Unifor Plástica, História do Ceará em Obras Sacras e Decorativas. Por ser referência em grandes mostras de arte e de exposições de caráter histórico, o espaço tem sido, ao longo dos anos, importante destino cultural de quem visita o Ceará. Em 2016 foi reconhecido pela Prefeitura como Patrimônio Turístico de Fortaleza.
Quem visita o Espaço Cultural Unifor desfruta de instalações e equipamentos que se encontram dentro das normas museológicas do Conselho Internacional de Museus (ICOM). Com área total de 1.200m², o ambiente segue padrões internacionais compatíveis com as melhores galerias de arte existentes no mundo, com estrutura dotada de sistemas de climatização do ambiente, controle rigoroso dos índices internos de umidade e de iluminação, toaletes com instalações específicas para portadores de necessidades especiais, proteção contra incêndios e saídas de emergência de fácil identificação.
Situado no 2º piso da Reitoria da Universidade de Fortaleza, o local passou por reforma física em 2004, tendo sido reaberto com a Mostra Raimundo Cela, uma homenagem ao cinquentenário de morte do artista cearense. Em 2008, ganhou espaço anexo, inaugurado com a mostra Barão de Mauá – O empreendedor.
A entrada é gratuita. Funciona de terça a domingo, sendo de terça a sexta no horário de 9 às 19h e nos sábados e domingos de 10 às 18h. Possui também estacionamento gratuito. Há também um delicioso café ao lado do espaço. Vale a pena visitar.
Fonte: https://www.unifor.br/espaco-cultural-unifor/apresentacao 

SABEDORIA POR VICTOR HUGO


"Que fácíl é ser bom. Difícil é ser justo."

Victor Hugo, escritor.

domingo, 6 de maio de 2018

SABEDORIA POR ARIANO SUASSUNA


"Não troco o meu "oxente" pelo "o.k." de ninguém."

Ariano Suassuna (foto)

FORTALEZA - MUSEU DA FOTOGRAFIA

                                                          Fotos impressionam
Apreciando esta premiada foto

A cidade de Fortaleza tem seus encantos e não somente as praias e o povo acolhedor. Há espaços agradabilíssimos para se visitar, seja você um turista ou um citadino local. Entre os lugares que recomendo para se visitar um deles é o Museu da Fotografia Fortaleza.

Localizado no boêmio bairro da Varjota a rua Frederico Borges, 545; o espaço surpreende pela organização e pelas exposições apresentadas. Além do espaço para exposições, possui auditório, cafeteria, loja e biblioteca. O acesso necessita de módica contribuição, mas menores de 18 anos e maiores de 60 anos tem entrada gratuita. Além disso, nas quartas feiras a gratuidade é para todos.

Destaque-se que o espaço sempre tem inovado nas exposições e na realização de cursos para fotógrafos iniciantes e para os já com alguma estrada na fotografia.

Estive em visita com minha família e pude constatar como são atrativas as peças em exposição. As fotografias impressionam pela beleza, pela realidade crua, pela arte.

Vale a pena visitar. Trata-se de um bom programa para qualquer dia. Recomendo, inclusive para após a visitar se deleitar em um dos apetitosos restaurantes de seu entorno. 

domingo, 18 de fevereiro de 2018

SALVADOR, BAHIA - TERRA MARAVILHOSA

Ilha dos Frades

Um brinde a Vinicius de Moraes

Casa do Rio Vermelho

Este ano tive o privilégio de visitar Salvador, na famosa Bahia.

Convivi com um povo alegre, festivo e acolhedor. Desde a família que nos acolheu pacientemente e prazerosamente por 10 dias, até os mais diversos profissionais que nos serviram; todos nos trataram com hospitalidade, presteza e sentimento de acolhimento.

Percorri lugares mágicos, históricos e cheios de energia. 

Adorei o Pelourinho com seus museus, bares, lojas, igrejas e monumentos.

Estive na Igreja e Convento de São Francisco. Um espaço belíssimo repleto de pinturas, esculturas ornamentos de ouro e imagens sacras. Conheci a Igreja do Rosário dos Pretos, construída por escravos e ex-escravos; sendo outro belo local para visitas e orações. Rezei na Igreja do Bonfim, espaço surreal da religiosidade.

No Pelourinho visitei o Museu Nacional da Enfermagem; o imponente Museu da Misericórdia; o Museu Eugênio Teixeira Leal que trata da história do dinheiro;  o Museu da Gastronomia Baiana; o Memorial das Baianas e a Fundação Casa Jorge de Amado. 

Estive ainda no Palácio Rio Branco, no Memorial da Câmara, no Movimento da Cruz Caída. Circulei pelas homenagens a Zumbi dos Palmares e Tomé de Sousa. Degustei moqueca de camarão com cerveja geladíssima em seus restaurantes. Curti especial cortejo do Olodum pelas ruas do Pelourinho. Posei para foto na mesma sacada em que o superstar Michael Jackson gravou seu clipe. 

Depois desci pelo Elevador Lacerda e fui ao Mercado Modelo para fazer compras e trazer mimos de Salvador. 

Fui ao famoso estádio Fonte Nova ver o Bahia jogar. Visitei a Casa do Rio Vermelho, lugar em que Jorge Amado e Zelia Gattai viveu e escreveu seu romances. Fiquei a imaginar como devem ter sido maravilhosas suas recepções com Vinicius de Moraes, Gláuber Rocha, Pablo Neruda, Tom Jobim, Dorival Caymmi, Roman Polanski, Jack Nicholson, Sartre e Simone de Beauvoir; entre tantos outros.

Estive ainda no Farol da Barra vendo o por do sol. Visitei o Museu Náutico. Degustei o acarajé da Cira, o sorvete da Ribeira, a feijoada e a peixada baiana. 

Fui ao Projeto Tamar na Praia do Forte, à praia de Guarajuba, à praia de Itapoã, à praia de Stella Maris. Ainda tive o privilégio de conhecer a idílica Ilha dos Frades e a Ilha de Itaparica, em um passeio de escuna regado a axé, frutas, caipirinha e cerveja. 

Faltaram lugares para visitar: Teatro Castro Alves, Memorial Irmã Dulce, Terreiro de Mãe Menininha, Morro de São Paulo, entre outros. Mas, o que visitei foi um convite a voltar pela beleza da cidade, pela alegria do povo, pela comida apetitosa. Destaco ainda que a limpeza da cidade estava muito eficiente, bem como seu sistema de transporte, pois andei de metrô, uber, táxi e ônibus. 

Voltei a Fortaleza com desejo de retorno. Lembranças especiais aos amigos baianos/cearenses Airton, Lícia, Rodolfo, Viviane, Aécio, Roberta, Jeová e aos pequenos Saul, Davi e Yasmin pela hospitalidade memorável. 

Eita Bahia boa demais.


sábado, 17 de fevereiro de 2018

O DIÁRIO DE ANNE FRANK


O primeiro livro lido do ano foi "O Diário de Anne Frank". Relato emocionante de uma jovem judia que relata o seu cotidiano escondida dos nazistas alemães em uma casa em Amsterdã. Sonhos, angústias, sofrimentos, desejos, aspirações, relações humanas; tudo é contado sob a ótica de uma garota. É algo para mexer com nossos corações e ao mesmo tempo não nos deixar compreender como pessoas foram tão cruéis a ponto de exterminar e levar milhões de pessoas ao cotidiano de crueldade. Também nos faz ver que mesmo nos períodos mais negros da história, há pessoas iluminadas e corajosas a ponto de colocar sua segurança em jogo para salvar seus semelhantes.

Há muitas frases marcantes ao longo do livro. Reproduzo uma que traduz o sentimento de esperança que ainda resistia em Anne Frank, apesar dos infortúnios.

"Não tenho dinheiro nem posses terrenas, não sou linda, inteligente nem esperta; mas estou feliz e pretendo continuar assim! Nasci feliz, adoro as pessoas, tenho uma natureza estável, e gostaria que todo mundo também fosse feliz."

Anne Frank morreu em uma campo de concentração nazista em Bergen-Belsen em fevereiro de 1945, pouco meses antes do campo ser libertado por tropas inglesas.

Um livro histórico e sempre necessário para se compreender as pessoas e o mundo. Acima de tudo é um livro repleto de esperança.

sábado, 13 de janeiro de 2018

LIVROS PARA LER EM 2018


O prazer da leitura me acompanha desde quando criança. Meu pai me levava aos domingos para uma banca de revista em Quixadá (Banca do Guaracy) e eu ganhava sempre uma revistinha em quadrinhos. No começo era Tio Patinhas, Pato Donald, Mickey.... Depois eram revistinhas do Ken Parker, Homem Aranha, Demolidor, X-Men, entre outros. Após certo tempo vieram as leituras infanto juvenis como "Tarzan", "A ilha do Tesouro", etc. Sherlock Holmes foi uma leitura que me cativou juntamente com os livros de Sidney Sheldon logo depois. A partir daí, não parei mais. Leio de tudo, livros de história, direito, administração, gestão, literatura, clássicos...

Durante o mestrado li importantes obras clássicas para compreender nosso país. Raymundo Faoro, Sérgio Buarque de Holanda, Caio Prado Jr., Darcy Ribeiro, José Murilo de Carvalho, João Ubaldo Ribeiro, Viana Moog, Roberto da Matta, Vitor Nunes Leal, entre outros. Renascia ali o prazer da leitura em mim. Não que tivesse ausente, mas apenas adormecido. Em 2017 li 34 livros. Tinha programado 25. Mas, o plano foi alterado. Li algumas obras que não estavam previstas, deixei de ler outras da lista e no final do ano, tive um balanço positivo no universo da leitura.

Planejo para o ano de 2018 ler 28 livros, dentre obras de temáticas e autores diferenciados. Segue a relação:

1 - O diário de Anne Frank, (lido)
2 - Antologia da maldade - Gustavo Franco e Fábio Giambiagi (lido)
3 - Contos de imaginação e mistério - Edgar Allan Poe. (lido)
4 - Paddy Clarke Ha Ha ha - Roddy Doyle. (lido)
5 - A tolice da inteligência brasileira - Jessé Souza
6 - A difícil democracia - Boaventura de Sousa Santos 
7 - A praça do diamante - Mercê Rodoreda
8 - As três Marias - Rachel de Queiroz. (lido)
9 - Estrela Solitária - Um brasileiro chamado Garrincha - Ruy Castro.
10 - Napoleão - Vicent Cronin.
11 - A irmã mais nova - Raymond Chandler.
12 - O xará - Jhumpa Lahiri (lido)
13 - O leopardo - Giuseppe Tomasi de Lampedusa
14 - Quase memória - Carlos Heitor Cony (lido)
15 - Abusado - Caco Barcelos
16- Crime e castigo - Dostoiévski
17 - Ainda estou aqui - Marcelo Rubens Paiva (lido)
18 - A cabana do Pai Tomás - Harriet Beecher Stowe
19 - Memorial de Maria Moura - Rachel de Queiroz.
20 - Dona Fideralina Augusto - Dimas Macedo. (lido)
21 - Eichmann em Jerusalém - Hannah Arendt.
22 - Nós somos a mudança que buscamos - Barack Obama (discursos) (lido)
23 - Memórias de Adriano - Marguerite Yourcenar
24 - Dona Flor e seus dois maridos - Jorge Amado.
25 - Cem anos de solidão - Gabriel Garcia Marquez.
26 - História da Riqueza no Brasil - Jorge Caldeira.
27 - O novo direito constitucional brasileiro - Luís Roberto Barroso
28 - Americanah - Chimamanda Ngozi Adichie

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

sábado, 22 de julho de 2017

SABEDORIA POR DALAI LAMA


"Julgue seu sucesso pelas coisas que você que teve que renunciar para conseguir."

Dalai Lama (foto)

RETORNO ÀS POSTAGENS


Nestes últimos meses tenho me dedicado às leituras, às mini-séries, ao esforço no desempenho profissional através de estudos e cursos; e também ao convívio familiar e algumas viagens. Tenho escrito pouco. Acho que depois da elaboração da dissertação do mestrado tinha que dar um tempo para descansar a mente. 

Agora, prometo retomar minhas divagações aqui pelo blog. Há tanto a debater. Vivemos tempos sombrios de intolerância. Tempos em se arguem argumentos pobres como se fossem verdades infalíveis. Tempos em que se leem apenas as capas das reportagens para se concluir. Tempos em que a divergência é motivo de ódio e desprezo. Que tristeza. A discussão das ideias se tornou algo ridículo e muitas vezes inaceitável. A política virou local de paixões exacerbadas entremeadas de clima FLA x FLU. 

Assim, neste momento, procurarei contribuir com minhas reflexões para defender que as grandes revoluções se fazem com passos contínuos, ás vezes pequenos, para se buscar o longe. Que a diversidade de pensamentos é que possibilita um ambiente de aprendizado e engrandecimento. 

foto: Ceart - Fortaleza (CE)

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

LIVROS PARA LER 2017


Depois de uma longa jornada nas leituras do mestrado, passo a ter mais liberdade na escolha de livros para o deleite literário. A seguir segue minha lista de desejos de leitura no ano de 2017.

1 - O sol é para todos - Harper Lee (lido)
2 - O que o dinheiro não compra - Michael J. Sandel. (lido)
3 - A improvável jornada de Harold Fry - Rachel Joyce (lido)
4 - O capital - Thomas Piketty (lendo)
5 - Código da Vida - Saulo Ramos (lido)
6 - A ideia de justiça - Amartya Sen
7 - A anatomia do poder - J. K. Galbraith (lido)
8 - Sobre o estado - Pierre Bordieu
9 - O futuro da democracia - Norberto Bobbio (lido)
10 - O direito pelo avesso - Peter Kohler e Thomas Schaefer (lido)
11 - O estado empreendedor - Mariana Mazzucato
12 - Contos de crime - Flávio Moreira da Costa (lido)
13 - Constituição Econômica do Brasil - Filomeno de Moraes (lido)
14 - 44 cartas do mundo líquido - Zygmunt Balman (lido)
15 - Impasses da democracia no Brasil - Leonardo Avritzer (lido)
16 - Stoner - John Williams (lido)
17 - O caminho estreito para os confins do Norte - Richard Flanagan (lido)
18 - O vermelho e o negro - Stendhal (lido)
19 - 10 dias que abalaram o mundo - John Reed
20 - A república dos padrinhos - Gilberto Dimenstein (lido)
21 - As mil e uma noites
22 - LRF comentada - Marcus Abraham (lido)
23 - A quinta disciplina - Peter Senge
24 - Gestão - Peter Drucker
25 - 1968. O que fizeram de nós? - Zuenir Ventura (lido)

O QUE O DINHEIRO NÃO COMPRA /MICHAEL J.SANDEL


O autor do livro "Justiça" nos brinda com produção literária que mantém o debate sobre como devemos nos portar diante de situação tida como legal mais não notadamente de acordo com a moral e os princípios da sociedade. Até que ponto o dinheiro pode comprar tudo? Esta pergunta está presente neste livro que visa a fazer em seus leitores uma reflexão interior sobre os nossos limites. Até onde podemos ir sem prejudicar a sociedade e os valores dos nossos vizinhos, irmãos, ou colegas? Vale a pena conferir.  

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

INTERNET = CONHECIMENTO OU DESCONHECIMENTO


Quando fiz meu primeiro curso universitário (ah como era bom ter que estudar história) vivia em um período em que o conhecimento era muito restrito. O acesso aos livros era deficiente. As bibliotecas não tinham grande acervo (ainda é assim em muitas cidades, por desleixo e falta de visão de nossos governantes) e mesmo o acesso à aquisição de livros era difícil e por que não dizer raro. Afinal, estávamos de saída de uma cruel ditadura militar e os livros eram considerados ferozes instrumentos do inimigo. 

O tempo passou. É incrível a facilidade através da internet para se buscar o acesso ao conhecimento. De tudo encontramos a nossa mão, ou seja ao nosso toque no mouse ou teclado. Vídeos, documentos, arquivos históricos, experiências; há muito o que se angariar de conhecimento em termos profissionais e de lições para nossa vida. As livrarias estão abarrotadas de títulos para todos os gostos e necessidades. 

Mas nem sempre as boas notícias andam sozinhas. Há um pesado fardo sobre a internet e as mídias sociais. É comum vermos circular mensagens de apologia ao ódio, ao preconceito, à violência. Também circulam notícias falsas, inverídicas, distorcidas. É cotidiano receber mensagens totalmente desvirtuadas, sem o mínimo de averiguação da veracidade.

É incrível como pessoas passam o tempo todo compartilhando mensagens de raiva, de hostilidade a determinado grupo de pessoas, de injúrias. Ave.....

Pessoal, a internet e suas páginas nas mídias são como sua casa. Não a proliferem de negatividades. Aproveitem o campo vasto de conhecimento disponível. Há tantos bons exemplos a seguir. Divulguem o que é saudável. Semeiem o bem.  Isto vale também para o mundo virtual. 

SABEDORIA POR HARPER LEE


“Eu queria que você visse o que é realmente coragem, em vez de pensar que coragem é um homem com uma arma na mão. Coragem é quando você sabe que está derrotado antes mesmo de começar, mas começa assim mesmo, e vai até o fim, apesar de tudo. Raramente a gente vence, mas isso pode até acontecer.

Extraido do livro "O sol é para todos" de Harper Lee (foto)

O SOL É PARA TODOS / HARPER LEE


Trata-se de livro inesquecível e incrivelmente atual. Não poderia deixar de ser pois trata-se de um clássico da literatura norte americana, mas eu acho que deve ser ampliado para a escala mundial. Emociona ler a narrativa da pequena Jean Louise, ou simplesmente Scout. Sua inocência cativa aos leitores. Não há como não se colocar no papel dos jovens personagens. Me vi na infância nas peripécias do grupo de Dill, Jem e Scout. 

A narrativa do livro nos mostra como a sociedade pode ser influenciada por sentimentos de racismo de um sociedade corrompida pela hipocrisia. Um livro memorável que nos faz questionar nossa trajetória e o real sentido de justiça. O livro foi transposto para o cinema, tendo recebido diversos prêmios e a interpretação magistral de Gregory Peck como o advogado Atticus Finch. Imperdível.




quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

SABEDORIA POR BARACK OBAMA


“Podemos não ser capazes de deter todo o mal no mundo, mas eu sei que a forma como tratamos uns aos outros é inteiramente nossa. Eu acredito que apesar de todas as nossas imperfeições, estamos cheios de decência e bondade, e que as forças que nos separam não são tão fortes como aqueles que nos unem.” 

Barack Obama, presidente do Estados Unidos.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

NOVAS ADMINISTRAÇÕES MUNICIPAIS


Neste período inicial de novas administrações municipais temos escutado relatos de desmonte em prefeituras. Dívidas, patrimônio abandonado, escolas em péssimo estado, serviços paralisados, lixo acumulado nas ruas; um verdadeiro presente grego. E em muitos casos as alegativas dos novos gestores são verdadeiras. Frutos de uma cultura administrativa patrimonial, presenciam-se casos lamentáveis de desmando, corrupção, favorecimento a amigos e familiares, além de ampla ineficiência.

Este quadro que ainda vivenciamos precisa mudar. E não mudará por obra de alguns bem intencionados prefeitos (estes cada vez mais raros). Mudará se as pessoas enfim acordarem para desempenhar seu papel de cidadão e não apenas de eleitor de dois em dois anos. Hoje os instrumentos de transparência pública possibilitam acompanhar as despesas do município em tempo real. A sociedade pode e deve acompanhar como está sendo gasto o seu dinheiro. 

Não dá para aceitar, por exemplo, que município gaste milhões com locações de veículos a amigos e apoiadores. Não dá para aceitar gastos exorbitantes com assessorias inexistentes, com coffee breaks desnecessários, com coleta de lixo ineficiente, com transporte escolar de péssima qualidade. E quem pode cobrar e denunciar estas arbitrariedades é o próprio cidadão.  

Por incrível que pareça, os administradores municipais de hoje, e que reclamam do desmantelo encontrado; podem ser os mesmos, após o período temporal de quatro anos, a deixar a prefeitura com servidores atrasados, com não repasse de consignados, com as escolas faltando merenda escolar, com o lixo na sua esquina, com obras inacabadas, etc. Por isto, não existe solução mágica ou salvador da pátria ou do município. Enquanto o nosso papel permanecer apenas de eleitor não evoluiremos.

Sei que há avanços. Há bons exemplos de cidadania ativa, de grupos sociais que acompanham o desenrolar da vida administrativa em suas cidades, de representantes do Ministério Público com atuação louvável. Mas ainda é exceção a regra. Sem partidarismos, cobremos de nossos representantes. Elogiemos quando justificada a ação. Critiquemos e reivindiquemos quando necessário.  A democracia e a cidadania agradecem. 

SABEDORIA POR FRANK UNDERWOOD / HOUSE OFF CARDS


"Se nunca fizéssemos coisas que não deveríamos fazer, nunca nos sentiríamos bem fazendo o que devemos"

Frank Underwood, personagem minissérie House off Cards 

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

A IMPROVÁVEL JORNADA DE HAROLD FRY - RACHEL JOYCE


Mais um livro que degustei a leitura nestas semanas. Um livro delicioso. Uma fábula moderna sobre pessoas comuns que enfrentam problemas, sobre solidariedade, sobre esperança. A caminhada do personagem com suas divagações, pensamentos e reflexões; demonstra como no fundo todos somos muito parecidos. Vivenciamos angústias, felicidades, saudade, desilusões, amores. A ler com carinho.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

SABEDORIA POR UMBERTO ECO


"Nem todas as verdades são para todos os ouvidos. Nem todas as mentiras podem ser suportadas."

Umberto Eco

NÚMERO ZERO / UMBERTO ECO


Foi o primeiro livro que li do laureado autor Umberto Eco. E gostei. Trata-se de livro não extenso e que conta a trajetória de um grupo de jornalistas que são contratados para elaborar um número zero de um jornal. O objetivo é manipular as informações, de forma a angariar recursos e poder com patrocínios, extorsões e outros benefícios. Trata-se de uma aula de como fazer um importante e mau jornalismo. E como tem disso pelo nosso país. Indico esta leitura. 

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

ROTA 66 - A HISTÓRIA DA POLÍCIA QUE MATA - CACO BARCELOS


A leitura de Rota 66 é um relato de atrocidades, injustiças e desilusão com as instituições. Mas também é o resumo de um trabalho feito a diversas mãos, que juntaram forças para denunciar histórias tristes e reais da sociedade brasileira. Caco Barcelos coordenou este trabalho investigativo, que é uma aula de jornalismo, de bom jornalismo. Interessante é que o autor corajoso deste trabalho foi agredido por manifestantes recentemente, fruto da cultura de ódio, intolerância, e desconhecimento de princípios que assola nosso país. Vale a pena ler e reler. 

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

SABEDORIA POR VICTOR NUNES LEAL


Conclui minha apresentação na defesa da dissertação com esta frase de Victor Nunes Leal (na foto sendo condecorado pelo Presidente JK), extraída do clássico livro: Coronelismo, enxada e voto. Detalhe foi escrito em 1949, no entanto, sua frase continua muito atual no cotidiano dos municípios brasileiros.

"Falta de métodos racionais, desorientação administrativa, gestão financeira perdulária, dívidas crescentes, balbúrdia na escrituração, quando havia, exação tributária deficiente e tolhida por critérios partidários, estes e outros defeitos foram encontrados fartamente em nossa administração municipal."


DENTADURAS E DENTES DE LEITE: POLÍTICOS E EMPRESÁRIOS MUDANCISTAS NO CEARÁ (1978-1986) - ALTEMAR MUNIZ


A leitura da tese do prof. Altemar Muniz mostra como ocorreu a conquista do poder no Estado do Ceará pelo grupo de jovens empresários capitaneado por Tasso Jereissati, Beni Veras, Sérgio Machado e Amarílio Macedo. Relata a maneira como ocuparam espaço através do Centro Industrial do Ceará (CIC) e a vitória nas eleições estaduais de 1986 no enfrentamento com os antigos "coronéis". Merece uma leitura para compreender a história política recente do Ceará. Altemar Muniz fez ampla pesquisa sobre o tema, trazendo a cobertura jornalística da época, charges, e inúmeros fatos da acirrada campanha para o cargo de governador. A ver e conferir.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

INDIGNAÇÃO SELETIVA


Tenho acompanhado os últimos tempos em nosso país o envolvimento e protesto de pessoas anteriormente omissas. Sem dúvida, a participação cidadã merece aplausos, principalmente pelo fato de que as maiores conquistas sociais e mesmo as ações desenvolvimentistas ocorreram em nosso país por pressão da sociedade. 

Ocorre que a indignação com ações ilegais e imorais não pode se restringir a um partido, a uma instituição, a uma específica prática. Precisamos de menos hipocrisia e mais princípios. Se somos contra corrupção, não podemos de repente cobrar de um amigo a utilização de um jeitinho para lhe beneficiar, em detrimento de outros. Se somos contra corrupção, não podemos oferecer vantagem a um guarda para evitar uma multa de trânsito. Se somos contra ações ilegais, não podemos querer sonegar o Imposto de Renda. Se somos contra coisas imorais, não podemos furar filas, estacionar em vagas de pessoas com necessidades especiais, receber troco errado e embolsar, entre outros inúmeros exemplos.

Faço esta reflexão pois vi uma estudante protestar contras as graves irregularidades em nosso país e depois ser apanhada como beneficiada de fraude no ENEM. Acompanhei matérias de alguns maus profissionais médicos que protestaram contra os malfeitos de autoridades; e depois os vi sendo apanhados em fraude contra o SUS. Recentemente acompanhamos um famoso pastor que se posiciona como voraz crítico contra a corrupção no país, sendo acusado de fraudes e doações ilegais. 

E ai pergunto: será que os atuais políticos são extraídos de uma outra sociedade (talvez de Marte) ou vem dos quadros desta hipócrita, patrimonialista e preconceituosa sociedade brasileira? Se queremos vivenciar um país melhor, comecemos por mudar nossas atitudes. Não queiram que a mudança ocorra apenas para se beneficiar individualmente, mas sim pensando no bem estar coletivo. 

Indignem-se. Participem, Reajam com indignação diante das corrupções, ilegalidades e imoralidades. Façam isto sem querer excluir ninguém. Muito menos a si próprio. 

domingo, 27 de novembro de 2016

O CASAMENTO DE NELSON RODRIGUES


O livro de cabeceira atual é "O Casamento" do genial Nelson Rodrigues. Pelas suas páginas dá para discernir por que era chamado anjo pornográfico. Uma surpresa atrás da outra. 

sábado, 12 de novembro de 2016

GUERREIROS DO SOL - FERNANDO PERNAMBUCANO DE MELO


O livro de cabeceira atual é Guerreiros do Sol: Violência e banditismo no Nordeste do Brasil de Fernando Pernambucano de Melo.

sábado, 24 de setembro de 2016

SABEDORIA POR HUMBERTO ECO


“As mídias sociais deram o direito à fala a legiões de imbecis que, anteriormente, falavam só no bar, depois de uma taça de vinho, sem causar dano à coletividade. Diziam imediatamente a eles para calar a boca, enquanto agora eles têm o mesmo direito à fala que um ganhador do Prêmio Nobel. O drama da internet é que ela promoveu o idiota da aldeia a portador da verdade”.


Umberto Eco, escritor.

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

UMA OVELHA NEGRA NO PODER - CONFISSÕES E INTIMIDADES DE PEPE MUJICA / ANDRES DANZA E ERNESTO TULBOVITZ


Em um período de tantas desilusões com a política, detive-me à leitura dos bastidores do mandato presidencial do presidente de Uruguai Pepe Mujica. Não encontrei um santo, nem o via assim, mas encontrei alguém de bem. Alguém com defeitos e qualidades e que chegou ao topo do poder em seu país. Idealista, mas com pés no chão. Mujica foi considerado uma ovelha negra no poder. Alguém totalmente diferente do político tradicional a assumir a presidência. Alguém revolucionário, inteligente, emotivo.

E foi esta diferença que fez sua fama, seus aplausos, seu sucesso mundial. O livro retrata o Mujica humano, sonhador, irreverente, profeta, mito. Neste período de deserto de bons exemplos, está um a desfilar, mesmo que não concorde com ele.

Obs: No intervalo da redação de minha dissertação, suas páginas passaram por meus olhos.

domingo, 21 de agosto de 2016

ADEUS AMIGO CLÁUDIO NOGUEIRA


A vida passa, os anos vão passando e o convívio com as pessoas caras de nossa existência vai diminuindo. A vida é assim, de repente fugaz. Temos que viver e curtir cada instante como se fosse o último. Perdemos Cláudio Nogueira, amigo, irmão, colega de muitas alegrias. Estivemos juntos em muitos lugares. Debatemos muito pelos corredores da UECE/Feclesce, rimos muito. Curtimos festas, carnavais, conversas descontraídas nas praças.

Ao lembrar destes momentos me deu uma melancolia e tristeza. Como felizes foram aqueles tempos despreocupados. Saudades do amigo Guaracy que também já se foi. Saudade da Gizele. Saudades de muitos que já nos deixaram. Saudades dos muitos momentos juntos.

Cláudio Nogueira se foi. Sua risada inconfundível não mais escutaremos. Suas histórias divertidas também. Sua solidariedade e amizade se foram. Ficam as lembranças dos bons momentos vividos. Que Deus o receba bem em sua nova morada.

sexta-feira, 27 de maio de 2016

quarta-feira, 25 de maio de 2016

SABEDORIA POR PEPE MUJICA


"Ninguém é mais que ninguém, dizem meus conterrâneos. Por mais pretensões ou recursos que tenhamos ...Todos vamos terminar no caixão. E, de qualquer maneira você não vai poder levar consigo todo o dinheiro que acumulou. Essa me parece uma maneira bem boba de viver."

Pepe Mujica, ex-presidente uruguaio (foto)

sexta-feira, 20 de maio de 2016

O QUARTO PODER - UMA OUTRA HISTÓRIA / PAULO HENRIQUE AMORIM


Conclui também a leitura do livro "O Quarto Poder" do jornalista Paulo Henrique Amorim.  Conta muitos fatos da sua trajetória, relata entrevistas e revela histórias inéditas da política brasileira. A leitura é agradável e embora conte com mais de 500 páginas, as narrações envolvem e prendem o leitor até o fim. Durante as suas páginas relata-se a história da Rede Globo, seu apogeu e suas crises. Suas frases são marcantes. Outro livro que merece ser lido para compreender as sombras da comunicação brasileira. Reproduzo frase atribuída a Roberto Marinho e citada no livro:"O Globo é o que é mais pelo que não deu do que pelo que deu". 

Ah, gostei demais da transcrição da entrevista do arquiteto Oscar Niemeyer.

GUIA DO TRABALHO CIENTÍFICO / CELSO FERRAREZI JUNIOR


Para quem está com monografia, dissertação e tese em curso, indico o livro Guia do Trabalho Científico de Celso Ferrarezi Junior. Um livro pequeno, mas com dicas preciosas para quem enveredou pelo caminho acadêmico. Li e aprovei. Está sendo meu acompanhante neste momentos de redação. Vale a pena.