segunda-feira, 21 de julho de 2008

O ARCO DE QUIXADÁ...


O Arco de Nossa Senhora de Fátima é um dos mais importantes pontos turísticos da cidade de Sobral, na zona norte do estado. O Arco foi projetado por Falb Rangel e executado por Francisco Frutuoso do Vale, autor da imagem de Nossa Senhora exposta no local. A obra é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).
Construído em 1953 (há 54 anos, portanto), o Arco (imita o do Triunfo, na França), foi uma iniciativa de Dom José Tupinambá da Frota. No local, no século XVIII, existia o Cruzeiro ou Cruz das Almas, erguido pelo Frei Vidal da Penha e demolido em 1929. O motivo da construção foi a visita da imagem de Nossa Senhora de Fátima que visitou o Brasil e em muitas cidades foram construídos "Arcos" em sua homenagem. Na foto ao lado vocês podem ter uma idéia de sua beleza.

Estive em Caicó (RN) para visitar um amigo do Banco do Brasil, com o qual tinha atuado diversas vezes como instrutor em cursos. Para minha surpresa, além de me deliciar com a famosa carne de sol, pude conhecer o Arco que se situa em uma praça central da cidade, também construído com propósito de homenagear a visita da imagem de Nossa Senhora.

Muito embora seja dificil encontrarmos documentos e até mesmo fotos que falem da história do Arco que existia em nossa cidade, não é dificil encontrarmos nas memórias dos mais idosos a lembrança deste importante ícone. Situava-se onde hoje está a praça José Linhares da Páscoa, a chamada "praça da catedral". Sua construção aconteceu na gestão do Prefeito Hermínio Dinnelly no ano de 1953. Não sei por que motivos tivemos sua demolição. Sei apenas que foi mais um crime contra a nossa história, assim como foi também a destruição do belíssimo prédio da prefeitura efetuada pelo então prefeito José Okka Baquit, com a conivência da Câmara Municipal. Ressalvas à oposição feita pelo vereador Chico Éneas, que foi único a se opor ao crime perpetrado.

Quero colocar que estava nos meus planos, caso tivesse podido me candidatar e com uma eventual vitória nas eleições, a reconstrução deste marco de nossa história destruído pelos analfabetos de valores culturais e históricos. Seria interessante cobrar dos atuais candidatos o compromisso com sua construção.