sexta-feira, 1 de agosto de 2014

COPA DO MUNDO NO BRASIL - 2014 - ALGUMAS PALAVRAS

Entre brasileiros e ganeses

Apesar dos presságios negativos de boa parte da imprensa brasileira, a Copa do mundo realizada no Brasil foi realmente um espetáculo para os ingleses e o resto do mundo assistirem com contemplação. Os estádios ficaram belíssimos, os aeroportos funcionaram a contento, a mobilidade para os eventos atendeu às expectativas, a segurança não comprometeu, os jogos foram emocionantes; os hotéis, restaurantes, bares e locais turísticos pelo Brasil afora foram invadidos pela mistura de raças, credos, sotaques e muita alegria. O Brasil foi amplamente divulgado e com repercussão positiva para a sua imagem como um país lindo, hospitaleiro e alegre.

Pude ir a dois jogos da Copa do Mundo, em um deles vi a celeste uruguaia ser derrotada pela simpática Costa Rica. Em outro vi a campeã Alemanha sofrer para conseguir um empate com a corajosa Gana. O clima nos estádios era esfuziante. A descontração era reinante e a troca de fotografias e gentilezas entre pessoas dos mais diversos países mostra como o mundo pode ser bem melhor sem a ganância pelo poder, sem os malefícios do preconceito seja de qual forma. Brasileiros, uruguaios, costariquenhos, alemães, ganeses, colombianos, argentinos, belgas, americanos, chilenos, enfim eram tantos estrangeiros circulando por Fortaleza que até me esqueço de quantos cumprimentei, mas não faltou cortesia, animação e brincadeiras.

O estádio do Castelão estava lindo nas partidas. As olas, os gritos da torcida, a beleza do futebol, as jogadas memoráveis, as comemorações dos gols; realmente foi inesquecível ver uma copa em nosso país. Tive contato com alguns americanos e eles me falaram que estavam adorando a recepção e a temporada no Brasil. Elogiaram por demais a caipirinha e a simpatia dos brasileiros. De longe ficaram gozando de dois colegas, que devido às matérias negativas da imprensa brasileira resolveram desistir da viagem. Como estavam adorando, ligavam para os colegas desistentes falando de como estava maravilhosa a viagem. Vejam aqui como a síndrome de vira-latas dos "profissionais de imprensa" brasileiros prejudicou parte dos frutos que o país auferiria com o evento. Mas, tirando o viés negativo destes maus brasileiros, a maioria do povo celebrou a festa do futebol. Pena que não deu para conquistar o hexa em nosso país. O esmero que aconteceu extra-campo não aconteceu dentro dos gramados e a seleção brasileira perdeu melancolicamente.

Quanto ao questionamento com os gastos com a copa, considero que criticar após praticamente todos os estádios já estarem prontos fica meio difícil de compreender. Não aconteceram críticas quando os governadores dos estados, inclusive dois presidenciáveis, festejaram a decisão da copa ser no Brasil. Diferentemente de muitos, não vejo como desnecessários a modernização dos estádios. Em Fortaleza realmente era necessário a reestruturação tanto do Presidente Vargas quanto do Castelão. Precisávamos de espaços para os grandes eventos esportivos e também culturais, religiosos, festivos em geral. Foi assim que já passaram pelos palcos cearenses Paul, Elton, rei Roberto, Beyoncê; e que venha a Madonna, Stevie Wonder, Dire Straits, etc. Ah, se Fred Mercury estivesse vivo para enlouquecer o Castelão ! 

Ainda se referindo aos gastos na Copa, ressalto que o que falta ao nosso país é gestão. Há muita incompetência circulando por ai. E também muitos aproveitadores de ocasião. Criticam a corrupção, mas ao olharmos para sua prática no dia a dia, nada ficam a dever dos "Arrudas" da vida. Interessante que este personagem fatídico e exponencial do péssimo político é o líder nas pesquisas em Brasília. De que adianta ser um feroz crítico se quando chega na hora de votar, exerce sua cidadania baseado exclusivamente no seu interesse particular. Difícil, não é? Volto a este tema outro dia, mas como estou atrasado nas postagens, resolvi relembrar a Copa do Mundo do Brasil. Que ficará na memória, com boas recordações, mas com o 7 x 1 entalados. Que sirva de lição para um repensar do futebol brasileiro.