sábado, 2 de agosto de 2014

SABEDORIA POR ARIANO SUASSUNA

"Cumpriu sua sentença. Encontrou-se com o único mal irremediável, aquilo que é a marca do nosso estranho destino sobre a terra, aquele fato sem explicação que iguala tudo o que é vivo num só rebanho de condenados, porque tudo o que é vivo, morre."


(Ariano Suassuna em "O Auto da Compadecida")