sábado, 22 de maio de 2010

DEMOCRACIA JÁ

Logo após a redemocratização brasileira as instituições brasileiras começaram a iniciar programas e projetos para se adequar a nova realidade. Ao invés de instituições autoritárias, pautadas pela decisão única da chefia, introduziram novos conceitos gerenciais no sentido de buscar a participação dos seus funcionários nas decisões. Era a tentativa de inserir uma nova administração pública com foco em conceitos gerenciais.

E assim foi feito no Banco do Brasil. Uma série de cursos e seminários foram realizados para mudar a cultura organizacional. A palavra de ordem era democracia, debate com os funcionários. Foi assim que se dirigiu a Brasília para um curso um dos gerentes mais autoritários do Brasil. Conhecido pela rispidez e por ser extremamente duro, o gerente Juarez passou por uma semana de intenso treinamento. A ordem era que as decisões deveriam ser tomadas de forma consensual. Os funcionários deveriam ser consutados. O ambiente deveria ser voltado para os fins e não para os meios. A princípio, Juarez não gostou de perder a função de "chefe", aquele que sempre tem a primeira e a última palavra. Entretanto, entendeu que deveria mudar. Afinal, eram outros tempos. 

Juarez voltou a sua agência. E contou do ocorrido. Os tempos mudaram. A partir de agora tudo seria diferente. Consultaria a todos. Não seria mais o gerente "mandão". Discutiria os assuntos da agência; Procuraria ser bem mais aberto às críticas. Sua última frase na reunião porém mostrou que tudo continuava na mesma:

- Olhe, tudo mudou. Eu serei democrático. Faremos uma reunião por semana para debater as questões da agência. E todos poderão falar. E AI DAQUELE QUE NÃO FALAR.