domingo, 6 de abril de 2014

PARQUE/CIDADE DA CRIANÇA - FORTALEZA (CE)

Ao lado de escultura
Na bela vista
Descansando 
O local é muito bonito
Excelente local para fotos
Na ponte
Caminhando
no castelete 
nos batentes
bom local para apreciar a vista
Semana passada tive a oportunidade de revisitar o Parque da criança no centro de Fortaleza. Trata-se de um local agradabilíssimo para se visitar. entretanto, deveria merecer por parte das autoridades um maior cuidado. Para se restaurar não deve-se gastar muito pois há pouco a fazer, trata-se muito mais de limpeza e organização.

Vale a pena visitar este espaço tanto para crianças como para adultos. O local é belo e bonito. Tinha vagas lembranças quando pequeno do local. O fato de ser chamado de Parque/Cidade das Crianças faz brilhar o olhar dos pequeninos e realmente configura-se de um bom espaço para lazer da garotada.

Dados do Parque/Cidade da Criança:


Nome: Parque da Liberdade
Área: 26.717,00m2
Endereço: limitada pelas ruas: General Bezerril, Pedro I, Pedro Pereira e Visconde do Rio Branco.
Nome anteriores: 
- Parque da LIBERDADE (1890) - Em homenagem a libertação dos escravos;
- Parque da INDEPENDENCIA (1922) - Em homenagem ao centenário da independencia do Brasil. Se inaugura a estatua de um indio quebrando os grilhoes no portao da entrada;
CIDADE DA CRIANÇA (1936) - Notável empreendimento educacional infantil. Jardim da infancia para meninos de 3 a 6 anos anos e parque para educação fisica e social de 7 a 14 anos;
- Parque da LIBERDADE (1948) - Na gestão do Prefeito Acrisio Moreira da Rocha se restaura o nome de Parque da Liberdade.

No centro do Parque esta o Lago do Amor. Lá se pode encontrar uma ilha com um pequeno templo de planta circular dedicado ao cupido. O entablamento esta adornado por uma sanefa formada por guirlandas de flores e caveiras de boi com chifres.


A libertação dos escravos no Ceará aconteceu no ano de 1884, quatro anos antes de a Princesa Isabel assinar a Lei Áurea acabando com a escravidão no Brasil. O evento prévio cearense foi o mote para a denominação de vários monumentos e locais públicos como a Cidade da Criança.

O lugar, freqüentado por adultos e crianças no Centro de Fortaleza, tem uma área de 26.717 metros quadrados e foi iniciada a sua urbanização em 1890 quando recebeu o nome de Parque da Liberdade, referência à libertação dos escravos no Ceará. A inauguração oficial só vai acontecer em 1902, quando o muro que cerca a área e as primeiras construções foram concluídas.

O local teve a denominação de Parque da Liberdade até o ano de 1922, quando em homenagem ao centenário da independência do Brasil, passa a chamar-se Parque da Independência. O novo nome vai permanecer por apenas 14 anos, quando em 1936 recebe o epíteto de Cidade da Criança. Como marco da mudança denominativa, é colocada ali uma estátua de duas crianças, um menino e uma menina, fundida em bronze em Milão, na Itália. 

Em 1948 o local volta a ser chamado de Parque da Liberdade.

Naquele logradouro está instalada hoje a Funci - Fundação da Criança e da Família Cidadã, órgão da Prefeitura Municial de Fortaleza, O trabalho da fundação é direcionado a menores abandonados, carentes, espancados e violentados, assim como às famílias deles. Um trabalho sócio-educativo que se extende por toda a cidade. A Cidade da Criança está aberta diariamente para visitação pública.

Ainda em 1890 é construído ali um castelete, como está grafado na placa de bronze em forma de escudo: ´Ano de 1890, construído pelo engenheiro militar Romualdo de Carvalho Barros e seu auxiliar Isaac Amaral, sendo governador do Estado o coronel Luiz Antônio Ferraz.´ Há uma segunda placa de bronze na construção que repete o mesmo texto da placa em forma de escudo.

No meio do parque há uma ilha, e numa placa de bronze é contada a história do local: ´a princípio natural, era recoberta de salsas e plantas exóticas. A água da lagoa era corrente e vinha do Tauape, passando por uma porta d´água rumo ao Pajeú, na Rua do Sol (hoje Costa Barros), dali atingindo o Atlântico (Otacílio de Azevedo, in Fortaleza Descalça, 2ª edição, tiragem especial). No centro da ilha foi construído o Templo do Amor, onde se vê a estátua do Deus Cupido, trazendo nos ombros a alfava de flechas. Em 1940 foi erguido um suntuoso restaurante no que era a diretoria da escola. Daí partiam os barcos para passeio, nesta época havia espaços ao ar livre para corridas de bicicletes, patins e corridas de tamancos e jegues. Em 1951 foi criado pela primeira vez o mini zoo.´

Sobre um dos portais do parque, o que fica em frente à praça da Igreja do Coração de Jesus, foi erguida a estátua de um índio, quando do retorno à denominação de Parque da Liberdade. No portal há uma placa que explica: ´O índio representa a liberdade, com os braços abertos, quebrando os grilhões que lhe acorrentavam os pulsos. Esta escultura foi obra do pintor e escultor Euclides Fonseca, que esteve no Ceará realizando uma exposição de pintura na cultura artística em 1925. A estátua é de cimento pintado imitando bronze (Otacílio de Azevedo, in Fortaleza Descalça, 2ª edição, tiragem especial)´.

A Cidade da Criança teve sua inauguração formal em 1902, no governo do coronel Luiz Antônio Ferraz, com o nome de Parque da Liberdade. Em 1922 no Governo de Justiniano de Serpa, o prefeito Ildefonso Albano, em comemoração ao primeiro centenário da independência, fez mudanças no muro que circunda o parque deixando-o em estilo colonial e transportou para ali as grades do Passeio Público. Foram colocadas então quatro portas circulares com telhado e beira-bico nos quatro cantos do logradouro.

Em 1938 sofreu outras reformas, recebendo o nome de Cidade da Criança através do Decreto N° 187, de 28 de janeiro de 1938, mesmo ano, quando o prefeito Raimundo Araripe criou o serviço de educação infantil, mantido pela municipalidade de Fortaleza, que funcionou naquele local.

Hoje a escolinha e o mini zoológico que funcionaram por algumas décadas já não existem. Os edíficios estão ocupados pelos funcionários públicos e a área externa é usada para passeio e lazer dos fortalezenses, apesar das condições de limpeza não serem as melhores e haver reclamação de populares sobre a falta de policiais no local.

Em plena manhã de sol, casais aproveitam a sombra das árvores nos bancos em volta do lago para namorar, pais e mães passeiam com filhos e dão comida aos patos e gansos espalhados pela grama e no lago.

fonte: Diario do nordeste