quarta-feira, 2 de abril de 2014

UMA REFLEXÃO SOBRE A DITADURA MILITAR

Neste último aniversário do nefasto golpe militar que trouxe trevas, morte e desalento para o nosso país; escutei algumas vozes desavisadas e certamente desprovidas de conhecimento e sensibilidade histórica no sentido de festejar a data. 

Ninguém em sã consciência pode defender a volta de uma ditadura para nosso país. A pior das democracias não pode-se comparar a melhor das ditaduras, isto é, estou forçando a escrita, pois não há nada que se aproveite de um regime de exceção. Os golpistas de 1964 na realidade se traduzem em bandidos que durante 24 anos produziram uma página triste de nossa história. Não há nada de glorioso em seus atos, somente assassinatos, desaparecimentos, tortura e censura. 

Pena que estes criminosos ficaram impunes. Deveriam ter sido condenados, servindo de exemplo para nunca mais a ordem democrática ser usurpada por facínoras. O regime militar deve ser sempre relembrado, mas para não esquecermos do mal que fez a este país. 

foto: Jornalista Vladimir Herzog, morto após tortura