quarta-feira, 9 de abril de 2008

AINDA RESTA UMA ESPERANÇA

Acompanhei uma matéria de um jornal abordando a luta de inúmeros meses de um casal pela vida de seu filho. Ele nasceu com ínúmeras complicações no parto e enfrentou mais de dois anos de internação em um hospital. Apesar de todas as dificuldades, a família e a equipe médica que lhe atendia não mediu esforços e conseguiu vencer mais de 20 paradas cardíacas a que o pequeno Anderson foi acometido. A chegada de Anderson para o seu quarto na casa dos pais, preparado por eles com muito amor, foi um momento de emoção mesmo com a distância natural de um presenciar televisivo. A forma como a equipe médica se dedicou para salvar uma vida, contra todos os prognósticos mais otimistas, é motivo de elogios de todos. Normalmente a TV noticia o que há de mais ruim que acontece em nossa sociedade. Casos como o citado são raros e pouco explorados. De qualquer forma, ainda existe esperança para este nosso mundo retratado sem valores éticos, sem amor ao próximo. Fiquei emocionado com a reportagem mesmo sem conhecer de perto os personagens reais de uma história com final feliz.