quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

SABEDORIA POR APRÍGIO GUIMARÃES

valer os seus direitos perante o poder público, e neste abdica em
ordem a constituí-lo tutor absoluto da gerência social, desde que o
poder público favorecido pela incúria e pela ignorância dos cidadãos,
vai eliminando no Estado toda ação individual, pode-se dizer que a
escravidão política está perto: porque a ação coletiva do governo,
em tudo, é a absorção da individualidade do cidadão;
vaer os seus direitos perante o poder público, e neste abdica em
ordem a constituí-lo tutor absoluto da gerência social, desde que o
poder público favorecido pela incúria e pela ignorância dos cidadãos,
vai eliminando no Estado toda ação individual, pode-se dizer que a
escravidão política está perto: porque a  
ação coletiva do governo,
"Desde que por incúria ou ignorância, o cidadão não sabe fazer valer os seus direitos perante o poder público, e neste abdica em ordem a constituí-lo tutor absoluto da gerência social, desde que o poder público favorecido pela incúria e pela ignorância dos cidadãos vai eliminando no Estado toda ação individual, pode-se dizer que a escravidão política está perto: porque a ação coletiva do governo em tudo, é a absorção da individualidade do cidadão; e na sociedade política em que o indivíduo desaparece, o despotismo é certo. O cidadão inspeciona o poder; o poder vigia o cidadão. É da combinação da ação coletiva com a individual que surgirá a liberdade. A ação individual só, seria a licença; a ação coletiva só, seria o despotismo. A verdade, isto é, a liberdade, está no centro."

Aprígio Guimarães - deputado de Pernambuco - Ano do discurso 1872