domingo, 2 de janeiro de 2011

UMA REFLEXÃO SOBRE O SIMBOLISMO DE DILMA PRESIDENTE PARA AS CONQUISTAS DAS MULHERES


Independentemente das preferências partidárias de qualquer um, não há como querer esconder o fato marcante e simbólico da posse de uma mulher na presidência do Brasil. Trata-se de evento da maior envergadura, com consequências benéficas para a sociedade brasileira. O fato de uma mulher chegar ao cargo mais alto de nosso país significa que os nossos valores culturais vem passando por uma salutar modificação.

Durante o meu trabalho de conclusão do curso de direito, o qual tratava especificamente da evolução dos direitos da mulher, pude compreender como nossa sociedade mantém-se machista e conservadora. Para exemplificar retomo aqui história real de minha infância e que expus em minha monografia.

Quando eu era menino, existia uma senhora, já com idade avançada, que circulava pelas ruas do bairro e visitava as casas, onde tomava café e batia um papo repetitivo. Meu pai me falou com respeito sobre ela: “Seu nome é Ester Holanda, foi a primeira a mulher a usar calça comprida e a montar cavalo como se fosse um homem”. Não compreendi a informação. Até porque minhas coleguinhas de colégio usavam farda de calça comprida e já tinha visto minhas primas montando cavalo da mesma forma que os vaqueiros da fazenda de meu tio. Foi preciso muitos anos para que eu pudesse entender o simbolismo que teve o gesto de Ester Holanda de desafiar a sociedade da época e ser a primeira mulher a vestir uma roupa considerada de “homem” em sua cidade natal. Hoje imagino como deve ter sido o impacto para as conservadoras famílias de ver uma mulher montar cavalo sem ser de “ladinho” como era a prática à época.

Em todas as sociedades existentes a mulher sempre foi relegada a um patamar inferior. Em grande parte consideradas como patrimônio do homem. Serva das tarefas domésticas e objeto utilizado para procriação da espécie. Ao longo de séculos a situação começou a mudar. E foram gestos e atos (tal como o relatado aqui) feitos por milhares de mulheres ao longo da história mundial, muitas delas anônimas, que romperam com a cultura do preconceito e discriminação. Não que as mulheres tenham conseguido alcançar a igualdade desejada para com os homens. Ainda há muito a conquistar, mas estes últimos tempos trouxeram grandes vitórias, a ponto de muitos estudiosos afirmarem que a maior transformação verificada neste último século foi a revolução feminina.

Faço este registro histórico para enfatizar que estas últimas décadas trouxeram conquistas importantes. O direito de votar; a descriminalização da infidelidade feminina; a igualdade de direitos entre homem e mulher; a proibição de pagar mais pelo trabalho feminino; a Lei "Maria da Penha" que se contrapõe aos índices alarmantes de violência doméstica; e agora a posse de Dilma Rousseff como presidente. Tudo isto se traduz em avanços para as mulheres brasileiras.

Sem dúvida a eleição de uma mulher para presidente abrirá caminhos para que outros espaços sejam ocupados pelas descendentes de Eva. Hoje a maioria dos cargos e empregos de destaque continuam sendo  ocupados pelos homens. São raros os casos de exceção à regra. Não é a toa que o Congresso, as assembléias e as câmaras são praticamente hegemonia masculina. Em caso de sucesso em seu governo, Dilma influenciará ainda mais para isso. Vamos torcer que isto aconteça. Para o bem de nosso país, para o bem de nossas mulheres

foto: ministras do Governo Dilma