sábado, 24 de novembro de 2012

QUIXADÁ, SEUS PROBLEMAS E ALGUMAS IDÉIAS PARA A FUTURA GESTÃO

Em qualquer administração que se inicia, seja em qualquer esfera, federal, estadual ou municipal, há decisões imprescindíveis a serem tomadas logo de chofre, ou seja no abrir da porta de entrada. Caso não tomadas, sérias consequências podem advir e inclusive podendo atingir todo o período temporal do mandato.
 
Em Quixadá isto não é diferente. Estamos vivenciando um final de mandato administrativo sem praticamente avanços em qualquer área. A cidade votou em um candidato que propiciasse uma mudança em seu atual estado. As ruas se vestiram de verde buscando esperanças de transformação no modelo administrativo e no sonho de projetos implantados para as áreas de saúde, educação, emprego e renda, além de infra-estrutura. 
 
Em 1o. de janeiro acabam-se as festas e comemorações dos gestores vencedores na eleição e a realidade nua e crua bate a porta. Começam as cobranças de apoiadores pelo emprego, de comunidades pelas promessas feitas, da sociedade como um todo por realizações. E ai se compreende que os recursos não são suficientes para atender a todas as aspirações. E ai se compreende que não existem milagres ou soluções mágicas. O sucesso de uma gestão depende de planejamento bem feito; de uma equipe qualificada e com entusiasmo; da capacidade de captação de recursos externos, do estabelecimento de parcerias e da elaboração de bons projetos. 
 
Coloco abaixo alguns pontos, que na minha modesta opinião, devem ser priorizados para uma boa gestão em nossa cidade Quixadá.

1) EQUIPE DO SECRETARIADO: Esta equipe deve ser montada de forma a contemplar as forças políticas de apoio ao então candidato, a fim de garantir sustentabilidade. Entretanto, deve-se buscar os melhores quadros que ali existam. Deve-se para alguns cargos estratégicos, nomear o que há de melhor disponível. Devem ser técnicos de qualidade diferenciada dentre os existentes no município e até se for necessário atrair de outros locais. Claro que é relevante buscar pessoas dispostas a exercer com determinação e disposição o trabalho a si confiado. A área financeira, de desenvolvimento urbano, da procuradoria, da saúde e educação, devem ter atenção especial na escolha dos secretários.
 
2) GESTÃO FINANCEIRA: Este é o principal fator de êxito ou fracasso das administrações. Deve ser feito um diagnóstico da situação financeira do município, com detalhamento de cada despesa e cada receita disponível. Cabe a esta área o desafio de fazer crescer a arrecadação municipal. Cabe a esta área o desafio de fazer a engenharia das despesas serem minoradas com acompanhamento permanente e incisivo. Cabe a esta área assessorar o gestor municipal de forma cotidiana sobre a situação financeira do município. Cabe a esta área também garantir a contrapartida dos projetos prioritários porventura captados. Por tudo isto e mais outras ações não citadas, configura-se no coração, pulmão e cérebro de uma gestão. Não dar atenção devida a esta área é suicídio político como se pulássemos de um avião sem paraquedas e esperar alguma providência divina. Um Plano de carreira específico para os servidores do setor que privilegie a capacitação e a produtividade; realização de concurso para auditor fiscal do município e informatização com modernos softwares e equipamentos devem ser prioridade no primeiro ano de gestão. 
 
3) CAPTAÇÃO DE RECURSOS: Nos dias atuais configura-se em condição sine qua non para qualquer governo. A busca de captar recursos para projetos prioritários é decisiva e deve merecer todas as atenções. Na minha opinião não faltam recursos para bons projetos. Agora é preciso sua concepção com qualidade e eficácia. Não dá para ir a Brasília sem bons projetos, sem entender onde há recursos disponíveis. Deve existir uma equipe capacitada, capaz de verificar os sítios governamentais cotidianamente, de elaborar os projetos, de fazer o acompanhamento e as devidas prestações de contas. Há relatos de falta de recursos, mas na verdade faltam projetos competentes para os municípios. Quem tem projeto acaba recebendo mais do que espera para sua cidade. Defendo a criação de Escritórios de Projetos nos municípios. E neste caso as indicações políticas devem ficar bem longe. Aqui tem que ser pessoas qualificadas, com preparo e boa remuneração.
 
4)  TRÂNSITO: Este é um dos principais problemas das cidades. Em Quixadá não é diferente e isto tem implicações na saúde e na segurança pública. Deve-se ter um órgão de trânsito organizado, com pessoal treinado, equipamentos e informatizado. A educação permanente preventiva deve acontecer e os abusos seriamente punidos. Para tanto dever haver prioridade do gestor maior do municípios, sem interferências políticas. Há muitos parceiros e recursos para este setor.
 
5) LIMPEZA URBANA: Um prefeito que não consegue limpar sua cidade e tapar os buracos das ruas não pode ser considerado nunca um bom gestor. Isto é dever primordial do prefeito. É uma obrigação. O projeto de coleta de lixo de Quixadá, com seu aterro sanitário, precisa ser reformulado e atualizado dentro das atuais exigências ambientais e urbanas. Esta tarefa deve ser dos primeiros dias de governo. 
 
6) AQUISIÇÕES E LICITAÇÕES: O processo de aquisições de Quixadá deve utilizar o sistema de Registro de Preços, se possível o desenvolvido pela própria prefeitura. As licitações devem utilizar prioritariamente o pregão eletrônico. Com isto reduz-se consideravelmente os custos de aquisições e o tempo gasto. Além disso sobram recursos para outras áreas prioritárias. O controle interno de almoxarifados deve ser modernizado e informatizado. Ressalte-se que aqui encontram-se os maiores motivos para desaprovação de contas de gestores. O tempo em que se comprava e depois procurava-se pagar traz sérias complicações para os prefeitos e secretários. A relação dos ficha-sujas vem quase que 100% das irregularidades em procedimentos licitatórios.  
 
7) EDUCAÇÃO: Esta área configura-se fundamental para o bom êxito de uma gestão. A busca pela melhoria de qualidade do ensino com escolas modernas e agradáveis, recursos áudio visuais disponíveis; qualificação dos professores; informatização ampla da rede de ensino; atividades complementares da sala de aula com arte, cultura e esporte; além de boa remuneração dos servidores fazem este sonho possível. Acredito que é possível termos escolas públicas em Quixadá com qualidade referencial. Depende principalmente de gestão e prioridade política. Ah, ia esquecendo defendo ainda a eleição para os dirigentes da escola após criteriosa qualificação e a promoção das mais diversas atividades de intercâmbio escolares.
 
8) PROJETOS ESTRUTURANTES: Como já falei, não faltam recursos para quem tem um bom projeto.
 
Listo abaixo uma série de ações estruturantes para preparar nossa cidade para o futuro. São algumas idéias que compartilho:
 
- Açude Cedro: Adaptação deste nosso principal ícone para transformá-lo em um grande entreposto turístico com área para shows, exposições, restaurante, museu, estacionamento e iluminação;
- Ampliação do Parque de Exposições da EXPOCECE. Alí pode ser nosso principal parque de feiras e eventos, com sua modernização, ampliação e adaptação das construções existentes;
- Construção de avenida circundando a cidade, ligando a entrada da cidade (Avenida Jesus, Maria e José) ao entrada do bairro São João, com intercessão com a Avenida Plácido Castelo; 
- Construção de Estádio Olímpico para Quixadá, com interface com a prática esportiva e educacional.
- Construção do Memorial Rachel de Queiroz com objetivo de receber seu acervo histórico e bibliográfico.
- Construção de Biblioteca Pública ampla, moderna, informatizada e com grande acervo, atendendo a crescente demanda educacional e universitária da região;
 - Construção de espaço destinado a Festa Pula Fogueira e outras festas populares, bem como de Parque de Vaquejada.
- Conclusão do Polo de Lazer do Eurípedes com ênfase na prática de esportes e atividades culturais.
- Implantação do Arquivo Público de Quixadá para preservação histórica e documental.
- Revitalização do Centro da Cidade, através da Reforma do Mercado Público; Reconstrução do Arco de Quixadá; embelezamento e padronização calçadas, iluminação e sinalização.
- Construção de novo Cruzeiro no monólito que leva seu nome e implantação de iluminação moderna;
- Erradicação da casa de taipa em Quixadá. Com os recursos federais disponíveis, bons projetos e disposição pode-se em quatro anos alcançar esta meta.
- Implantar em 100% das comunidades rurais abastecimento de água. Há recursos disponíveis e necessita-se de projetos para tal intento.
- Construção da Via Férrea - avenida urbanizada e arborizada circundando os trilhos da estrada de ferro. Projeto semelhante foi feito na cidade de Iguatu, sendo uma referência urbana.
- Implantação de distrito industrial para receber as indústrias locais que funcionam de forma precária e em localização inadequada; de novos investimentos de empresários quixadaenses e de outros centros.
 
9) SAÚDE: A saúde é dos principais gargalos das administrações municipais. Faltam recursos para atender a crescente demanda de nossa população. Aqui deve-se ter um planejamento prioritário, com estabelecimento de parcerias e formação de equipe dirigente de nível. A busca de recursos para saúde deve ser uma constante visando equipar e modernizar os postos de saúde, garantir a medicação básica e o atendimento. Deve-se fazer uma luta pela implantação de uma UPA (unidade de pronto atendimento), agilizar o funcionamento da policlínica e a instalação do SAMU. Afora definir o papel do Hospital Eudásio Barroso, que precisa urgente da conclusão de sua reforma/ampliação ou construção em novo local.
 
10) AGRICULTURA: Este setor normalmente é esquecido. E nunca tivemos tantos recursos como agora. A ênfase na atividade produtiva, na transferência tecnológica, no melhor aproveitamento hídrico deve ser o mote principal. Há recursos federais e estaduais para os mais diversos projetos na área rural. Uma boa equipe de técnicos agrícolas, sob uma coordenação competente pode trazer inúmeros frutos, com a captação de bons projetos nas áreas de ovinocaprinocultura, bovinocultura, agro-indústrias, piscicultura, projetos de irrigação, etc.

Há ainda diversas áreas que merecem atenção especial como o esporte, o turismo, a cultura, a assistência social, a habitação, a juventude, as políticas da mulher, entre outras. E merecem ser prioridade também em uma gestão. Contudo, deixo estas idéias em número de 10, que foram o tema central desta última campanha como contribuição para o futuros gestores municipais.