quarta-feira, 12 de março de 2008

UM PRESIDENTE NEGRO NOS ESTADOS UNIDOS


Há algum tempo atrás parecia ficcção a possibilidade de ser eleito um presidente de cor negra em um país conservador como é os Estados Unidos. Se lembrarmos da primeira temporada do seriado "24 horas", o enredo da série trata da campanha presidencial do personagem David Palmer. Ele é preparado, de cor negra, possui grande oratória e com chances reais de ganhar a eleição. Quanta sintonia com o que está acontecendo agora.

Barack Houssein Obama Jr. possue 45 anos. Disputa a indicação do Partido Democrata e tem entusiasmado multidões com sua oratória, surpreendendo políticos tradicionais e envolvido milhares jovens, negros, mulheres e sonhadores com uma alteração nos rumos da Casa Branca.

Nasceu a 4 de agosto de 1961 em Honolulu, Havaí). É casado com Michelle Robinson desde 1992; o casal tem duas filhas: Malia (nascida em 1999) e Natasha (2001) . É advogado, foi professor de Direito Constitucional e é autor do livro "Audácia da esperança", disponível para venda no Brasil. É atual senador por Illinois (eleito em 2004). Filho de um queniano e uma norte-americana, Obama tem a torcida de parte da família que ainda vive na África e espera que ele se torne o primeiro presidente negro dos EUA.

Obama significa "abençoado" em suaíli, uma das línguas oficiais do Quênia.O pré-candidato passou quatro anos de sua infância em Jacarta, depois da separação dos pais e do casamento da mãe Ann Dunham com um indonésio; aos 10 anos, Obama voltou ao Havaí e foi morar com os avós.

Quando Obama ainda era criança, seu pai abriu mão de estudar em Harvard por não ter dinheiro para levar a família junto; o filho estudou direito na prestigiosa universidade e foi o primeiro afro-americano a presidir a revista universitária "Harvard Law Review".

Seus apoios mais significativos vieram da apresentadora Oprah Winfrey, do senador John Kerry e da família Kennedy.

Entre suas propostas está a remoção gradativa das tropas no Iraque, a defesa do meio ambiente com a criação do programa 5-E (energia eficiente, educação ambiental e emprego), voltado para o treinamento de jovens, em parceria com empresas privadas que criariam oportunidades de estágio. Quer reduzir as emissões de carbono do país em 80% até 2050 e prevê que 20% da energia consumida nos EUA virá de fontes renováveis até o ano 2020. Planeja incentivar os norte-americanos a comprar veículos menos poluentes e estimular os fabricantes a investirem em carros híbridos.

Defende o controle das fronteiras com tecnologia avançada e melhor infra-estrutura, o que desencorajaria os imigrantes de entrar no país de forma ilegal. É a favor do processo de legalização para 12 milhões de imigrantes, que incluiria o pagamento de multa e o aprendizado de inglês para obtenção de cidadania provisória.É a favor do sistema de cotas em empresas e entidades estudantis.

Promete reduzir os impostos para a classe média e revogar a redução de impostos para empresas de petróleo e gás e para os cidadãos mais ricos implantada por Bush.
Favorável às uniões civis entre pessoas do mesmo sexo, é contra a emenda constitucional que prevê o casamento apenas entre um homem e uma mulher.É a favor do aborto.
Quanto ao porte de arma, defende medidas de controle, como a proibição em ambientes com crianças e o fechamento de feiras de venda; caçadores e esportistas teriam seu direito ao porte preservado.

Tem despertado entusiasmo por onde passa. Seus discursos falam de esperança, de um país sem preconceitos, da união entre negros e brancos para refazer os Estados Unidos. Após a vitória em Mississipi contabiliza 26 estados em que venceu as primárias. Lidera a disputa contra a Senadora Hillary Clinton segundo estimativas com 1.579 delegados. A ficção começa se tornar realidade ? Os Estados Unidos vão sair de um presidente conservador para outro negro, com nome estranho, de idéias avançadas ? Só o tempo dirá.