terça-feira, 30 de novembro de 2010

A CIDADE ESTÁ ABANDONADA

Esta frase dita e repetida por vários cidadãos de Quixadá mostra o atual desencanto com a situação de nossa cidade. Na fala de inúmeras pessoas há uma revolta com o desenrolar das ações administrativas da gestão municipal. As críticas envolvem todas as áreas e não absolvem nenhum setor do descaso e letargia.

O lixo, as obras paralisadas, o desmonte da saúde, a inoperância no planejamento, a falta de interlocução com a sociedade; tudo isto é motivo de reclamações pelos moradores dos mais diversos bairros e distritos. A ausência do gestor da cidade e suas constantes viagens são motivo de chacota e gozação. As denúncias públicas e as colocadas nos bastidores de enriquecimento pessoal de alguns é algo que choca ao mesmo tempo que revolta a todas as pessoas de bem.

Até onde isso vai parar, perguntam muitos. Para alguns mais incrédulos, afirmam que ainda vai piorar ainda mais. Como pode piorar se já estamos no fundo do poço, dizem outros. O grave é que não se vê nenhuma reação da gestão para se enfrentar os problemas e dificuldades. Não há uma esperança de melhora, as dificuldades se avolumam. Parecem que não tem fim. É a ineficiência na gestão financeira, são as constantes inadimplências, a falta de projetos, a falta de decisão para temas emergenciais. A cidade está à deriva.

Outro dia um amigo historiador me falou que na sua existência não lembra de uma administração tão desastrosa e tão sem perspectivas. Me repetiu diversas vezes que a cidade está abandonada. Este é o clima reinante em nossa cidade. O interessante é que com a cidade se desarrumando toda, o gestor tem recebido prêmios e mais prêmios como prefeito modelo. Sabe-se que a maioria dessas premiações são caça-niqueis mas não se pode tripudiar tanto com a opinião pública. Olhem a responsabilidade caros gestores, os cidadãos quixadaenses exigem um maior respeito e dignidade de suas partes. As urnas já demonstraram parte da revolta recentemente.