sábado, 29 de setembro de 2012

CAMPANHA ELEITORAL - RETA FINAL EM QUIXADÁ - CUIDADOS


As campanhas eleitorais costumam mexer com as paixões dos brasileiros. Em nossa cidade, Quixadá, não é diferente.  Aconteceram campanhas memoráveis como a do tostão contra o milhão do saudoso José da Páscoa, a que elegeu Dr. Mesquita em 1988, a de 1992 que foi decidida nas últimas urnas, entre muitas outras. Todas foram marcantes e tiveram uma dose de romantismo, emoção e conflito.
Entretanto, cabe a nós estabelecer que o grau de conflituosidade em uma campanha eleitoral não deve chegar às ultimas consequencias. Afinal não estamos em uma revolução armada e sim em um acontecimento democrático, no qual as opiniões devem ser respeitadas. Não há unanimidade, todos temos idéias divergentes e convergentes. O fato de ter escolhido votar em quem que seja cabe exclusivamente a cada um. E pronto. Devemos respeitar as decisões de quem diverge da gente. O campo do debate, das gozações, do conflito, deve ater-se aos comícios, caminhadas, carreatas, meios sociais (mais recentemente), entre outros. Passar para a agressão, para a violência, para atos intoleráveis; deve ser uma atitude reprovável e não aceita por todos.
 
Falo isto devido a certas inconsequências de militantes de ambos os lados. Cuspida, agressão, roubo de bandeiras, pichação de residências; nada disto deve ser tolerado. Conclamo aos militantes do PT e do PRB que mantenham a calma. A eleição vai ser decidida as 17 h do dia 7 de outubro pelo meio mais democrático que a história tem mostrado: o voto. Não vai ser com agressões e intimidações que acontecerá qualquer mudança eleitoral.
 
Quero ressaltar também que fiquem atentos à compra de votos. Não se deve aceitar que pessoas sejam eleitas comprando descaradamente votos. A venda do voto é a venda de seus direitos para os próximos 4 anos. Quem compra o voto não vai se preocupar, de forma nenhuma, depois de eleito, com propostas para sua cidade e seus eleitores. Vai ser mais um a corromper e corromper-se neste país que anseia por mudança. E o eleitor é quem pode fazer a diferença nas eleições.
 
Por isto tenha calma e serenidade na reta final de eleições. Debata, busque mais votos para seus candidatos, vá aos últimos comícios, carreatas e reuniões, mas com a paz na sua caminhada e no coração.