quarta-feira, 13 de abril de 2011

ESTAÇÃO DE JUATAMA - UM POUCO DE SUA HISTÓRIA

Estação em 2006
Vista geral da estação e adjacências
Renato Aragão e Emília
HISTORICO DA LINHA: A linha-tronco, ou linha Sul, da Rede de Viação Cearense surgiu com a linha da Estrada de Ferro de Baturité, aberta em seu primeiro trecho em 1872 a partir de Fortaleza e prolongada nos anos seguintes. Quando a ferrovia estava na atual Acopiara, em 1909, a linha foi juntada com a E. F. de Sobral para se criar a Rede de Viação Cearense, imediatamente arrendada à South American Railway. Em 1915, a RVC passa à administração federal. A linha chega ao seu ponto máximo em 1926, atingindo a cidade do Crato, no sul do Ceará. Em 1957 passa a ser uma das subsidiárias formadoras da RFFSA e em 1975 é absorvida operacionalmente por esta. Em 1996 é arrendada juntamente com a malha ferroviária do Nordeste à Cia. Ferroviária do Nordeste (RFN). Trens de passageiros percorreram a linha Sul supostamente até os anos 1980.

A ESTAÇÃO: A estação de Juatama foi inaugurada em 1891. Sua construção aconteceu neste mesmo ano 1891, é um marco importante para a história local, pois às suas margens o distrito se desenvolveu, quando na região havia o cultivo do algodão, e a criação extensiva de gado, além de servir de elo entre o interior e principalmente a capital do Estado. Juatama surge, cresce e desenvolve-se às margens da estrada de ferro, como um distrito de Quixadá. Sua primeira denominação foi Juá, passando depois a chamar-se Floriano Peixoto e depois, definitivamente Juatama. Sintomaticamente, sua primeira rua chamava-se rua da Estação,
hoje Rua Joaquim Medeiros, mas carinhosamente ainda chamada de rua da Estação. O distrito de Juatama localiza-se a 16 km da sede do município de Quixadá. A estação ferroviária de Juatama e a paisagem do distrito foram cenários do filme nacional “O Cangaceiro Trapalhão", que teve a participação do humorista Renato Aragão e de vários atores de renome nacional.(Fontes: Alexander Koch; http://juatama.blogspot.com; Alexandre Henrique Cabral, 2006-8; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960).

Fotos: Alexandre Henrique Cabral.