quinta-feira, 30 de julho de 2009

ENTREVISTA EM QUIXADÁ


Atendendo a convite participei de entrevista na Rádio Monólitos de Quixadá. Foi um encontro de quase duas horas em que os mais variados temas foram abordados. Procurei colocar minha opinião sincera, estabelecendo um espaço de debate na qual todos os temas fossem abordados. Procurei manter o nível da discussão e tratar com sobriedade todas as questões. Coloco abaixo alguns dos trechos. Espero que traduzam a fiel disposição das palavras na entrevista. A audiência foi enorme, inclusive com inúmeros telefonemas para fazer perguntas. Infelizmente o tempo foi curto para tantos assuntos. Voltarei dentro em breve para continuar o debate na emissora. Agradeço a todos os ouvintes e os telefonemas de apreço e elogio.


- "A campanha eleitoral já prenunciava o que seria a administração. Não aconteceram debates, o único que ocorreu foi a maior baixaria. Tratou-se a eleição como a disputa de um campeonato de futebol. Não se soube quais eram os projetos."

- "Velhas praticas foram ressuscitadas. Antigamente prometiam que se determinada comunidade votasse iriam colocar energia. E chegavam a colocar os postes antes das eleições. O povo votava. Depois da eleição recolhiam os postes. Nessa última eleição, como exemplo, prometeram o asfaltamento da rua Dom Lucas, foram de casa em casa, alfaltaram três metros. Passou a eleição, esqueceram de continuar. Isso é estelionato eleitoral. Sempre fomos contra isso. Não podemos concordar."

- "Enviaram um emissário para dizer ao candidato do PSDB, Dr. José Nílson que se ele não fosse candidato, em três meses, estaria regularizada o curso de medicina da Faculdade Católica. Depois foram ao Dom Adélio. Isso é chantagem. Lamentável que um benefício desses tenha sido usado de forma tão vil. Não importa quem traga benefícios, o que vale é o desenvolvimento da cidade."

- "Acho a EMPRESQ uma boa ídéia. Serve para suprir uma deficiência para arrecadação municipal. Arrecada por baixo R$ 20.000,00. Em um ano são R$ 240.000,00. Para onde foi o recurso em 2008 se não entrou nos cofres públicos ? Pode ser que tenha explicação para isso mas juridicamente não acredito"

- "Pode colocar mais um naquela conversa de dois prefeitos, dois deputados, dois delegados, etc. São dois procuradores municipais. O Dr. Torres, que é uma pessoa de bem, advogado, é o verdadeiro procurador. Quer conferir procure a prefeitura na procuradoria para resolver algo e você confere o que digo."

- "A administração municipal é como um navio, com dois comandantes, cada qual vai para um lado diferente, ai não sai do canto. é uma paralisia total."

- "Se economizassem um mês de diárias já serviria para ajeitar a entrada da cidade que tá intransitável."

- "Para saber como tá a administração municipal basta sair na rua e conversar com qualquer morador".

- "A situação de segurança da cidade levou à população duas vezes às ruas. Só aí, as autoridades começaram a se pronunciar. Falta representatividade política até para cobrar o que é direito da população".

- "As pessoas ao passarem por um grave acidente ou uma doença séria, olham para sua vida e descobrem que o que vale a pena não é a riqueza, não é o poder, não é uma conta cheia
de dinheiro, não são grandes posses, não são mansões na dunas. O que vale a pena na vida são momentos simples, são o aconchego em casa, o abraçar de um filho, os encontros com os amigos. Ilário teve uma grande chance de aproximar com Deus, de modificar sua vida, de estar mais perto do lado espiritual, mais perto da família. Não foi isso que ocorreu, ele está mais obcecado pelo poder. Não é mais aquele sonhador, idealista. Está bem diferente, para pior. Veja o que ele está fazendo com este rapaz. Não tenho ódio ou rancor, tenho pena.