sexta-feira, 12 de outubro de 2012

ELEIÇÕES EM QUIXADÁ: ALGUMAS PALAVRAS

A eleição terminou em nossa cidade. As cores do verde do João da Sapataria tremularam por todas ruas. Muita festa e agitação. A praça realmente ficou apinhada de apoiadores festejando. Muitos abraços, cumprimentos, explosões de alegria. Realmente uma eleição acaba contagiando a todos. E assim o foi. E assim continuará por vários dias. Muitas festividades ainda acontecerão.
 
Na minha ótica o dia da eleição transcorreu tranquilo. Fiz minha votação como sempre no Colégio Estadual. De manhãzinha me dirigi ao colégio que estudei por três anos para expressar minha cidadania. Lá encontrei diversos amigos e lá permaneci um bom tempo. O clima era muita tranquilidade. Encontrei o amigo advogado Romero Lemos. E disse pra ele: "bem diferente daquela eleição de 1992 que foi bem agitada e que quase nos prendiam". Romero riu como me dissesse: são outros tempos. Encontrei o meu eterno contador Marcos Bizerra e lá conversamos sobre as eleições. Depois disso votei rapidinho e segui para a Banca do Milton fazer minha compra dominical.
 
Esta calmaria que transcorreu o dia das eleições não permaneceu quando as primeiras urnas foram divulgadas. Deu o esperado: vitória de João Hudson para prefeito. O clima do comício de quinta-feira já traduzia a provável vitória que se configurou. Não aquela dos 7.000 votos de diferença como alguns apregoavam, mas uma vitória contundente. E o povo festejou nas ruas, casas e na praça José de Barros.
 
Esta esperança de mudança, como falei anteriormente, já vinha desenhada durante toda a campanha. O verde tomou de conta de Quixadá. No último comício afirmei a necessidade de que pessoas de bem participem da política; de que o remédio para extirpar a bandalheira é a participação de pessoas íntegras e bem intencionadas na vida partidária. Afirmei da necessidade do futuro prefeito montar uma equipe preparada para a gestão, da necessidade da estruturação de um Escritório de Projetos para captação de recursos federais e estaduais; afirmei que existem muitos projetos disponíveis e que precisamos de um prefeito que busque angariá-los cotidianamente. Já falei para grandes públicos, mas nunca vi uma praça tão entusiasmada como a da quinta-feira do dia 4 de outubro.
 
Interessante evidenciar o desgaste que o ex-prefeito Ilário enfrentou na campanha. Nem mesmo a ausência de João Hudson dos debates arrefeceu a paixão por sua candidatura. Reforço novamente de que a população quixadaense não aceitava mais o estado em que se desenrolava a política quixadaense. O jogo de interesses pessoais promovido pelo PT do Ilário não seria aceito novamente. Sua longa lista de desafetos cerrou fileiras nas hostes oposicionistas e a derrota bateu a sua porta.
 
Alguns fatos lamentáveis que devem ser citados foram algumas agressões e baixarias que povoaram a campanha. Cusparadas, agressão ao repórter, malas nos palanques, declarações impensadas deram um tom de baixíssimo nível em determinados momentos da campanha dos dois lados. Ainda bem que isto não contagiou o restante do período eleitoral.
 
No final, prevaleceu a democracia e a vontade popular. Ganhou o popular João da Sapataria para um mandato de 4 anos. Espero que tenha sabedoria para escolher bem sua equipe; que saiba estruturar bem sua administração começando pelas finanças; que tenha sensibilidade para colaborar com as ações necessárias a sua cidade. Até 31/12 será uma festividade. Depois terá que ser muito trabalho e dedicação, caso queira manter a população afetuosa e feliz como neste atual momento.
 
Desejo sucesso ao prefeito eleito João Hudson, ao vice Cy e a todos os vereadores eleitos. Saibam bem representar nossa maravilhosa e querida cidade do Quixadá.