quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

DROGAS: UM PROBLEMA SÉRIO EM QUIXADÁ



Nestas últimas idas a Quixadá tenho conversado com muitas pessoas e uma situação me tem sido relatada com muita preocupação: a escalada do consumo de drogas no seio da sociedade quixadaense. Inúmeras famílias de todas as classes sociais têm passado por sérios problemas a partir do envolvimento de algum parente com as drogas.

Não é novidade as tragédias que são ocasionadas pelo consumo de substâncias entorpecentes. As chamadas drogas lícitas (cigarro e alcool) já trazem inúmeras complicações, em muitas delas fatais para os envolvidos. Basta analisar as estatísticas de acidentes de trânsito motivadas pelo consumo de bebidas alcoólicas e as mortes ocasionadas pelo câncer de pulmão. As medidas tomadas pelas autoridades constituídas(Lei seca, proibição de propaganda de cigarros) têm trazido boas consequências mas ainda são pequenas diante da grandiosidade do problema.

Entretanto, o motivo desta postagem é a proliferação do consumo de drogas ilícitas. Não dá para assistirmos a uma degradação moral de famílias e de indivíduos por conta do consumo de maconha, cocaína, ecstasy e do famigerado crack. A maior parte das violências acontecidas em Quixadá e na grande maioria das cidades tem correlação com o consumo destes males da sociedade moderna. Nossa cidade pode enfrentar este problema mas tem que ser agora. Não pode deixar para depois. É papel de autoridades, educadores, profissionais da saúde pública, políticos, entre outros; de darem-se as mãos e debater com a sociedade quixadaense esta situação.

Já tive amigos que se perderam no consumo de drogas. Começaram devagarinho, achando que fumar maconha é legal, é astral. Depois foram subindo a escada da perdição das drogas. Foram para o ecstasy, cocaína, crack e chegaram ao topo da degradação. Poucos conseguem superar esta situação. É preciso força de vonta férrea para deixar o mundo dos drogados. Se é assim, temos que trabalhar a prevenção. Conscientizar nossas crianças e a juventude do tremendo baixo astral que é o consumo de drogas. Podemos fazer isso ? Claro que sim, mas precisamos do apoio de todos.

Faz-se necessária a ação da força do Estado na repressão do tráfico mas também é primordial sua ação educativa e preventiva. Não dá para convivermos com o desenvolvimento chegando a nossa cidade em obras privadas e públicas com a degradação moral de nosso povo. Desenvolvimento significa avançar como por inteiro. Não dá para ver faculdades se instalando ao mesmo tempo em que vermes corroem a alma de nosso povo.