segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

UMA ANÁLISE DA SITUAÇÃO DE QUIXADÁ


Após a formatura retornei a Quixadá para participar de algumas atividades e manter alguns contatos sociais e políticos. Não pude deixar de confirmar in loco, as inúmeras críticas que são feitas à atual administração pela população em geral. A cidade encontra-se suja, esburacada, com obras inacabadas, com serviços sendo prestados de péssima qualidade. A saúde, em que muitos esperavam um desempenho melhor que as as gestões passadas pelo fato de termos um médico no comando da prefeitura, é um dos principais destaques negativos.

Um fato interessante aconteceu ao visitar uma das lojas da cidade. Nesta loja tive o privilégio de conhecer um cidadão recém-chegado a Quixadá e que trabalha na unidade da PETROBRÁS. Ao ser apresentado como ex-vice prefeito, ele entendeu que eu era o atual gestor. Tive que rapidamente deixar claro para ele que nada tenho com a atual gestão pois ele teceu severas críticas à gestão seja na desorganização total do trânsito, na limpeza da cidade e na conservação viária. Concordamos no final que do jeito que vai, a situação ainda vai piorar mais, tal a letargia do gestor.

As críticas feitas pela população não se tratam de uma situação isolada. Nos bairros em que estive, as reclamações eram quase as mesmas. Petistas, ex-petistas, membros dos partidos de oposição, todos compartilham do mesmo pensamento: nunca tinham visto uma gestão tão desastrosa.

Já afirmei aqui no blog que se não existisse na atual gestão um secretário de Finanças da estirpe do que lá está, a situação seria ainda muito pior. O problema maior enfrentado é a distância do prefeito para com o povo. É mais facil ganhar no Totolec do que conseguir despachar com ele. Isso quem fala são as entidades de classe, apoiadores políticos, empresários, etc.

Não sei sinceramente aonde vamos parar. Fala-se que temos dois prefeitos; alguns chegam falar que são dois prefeitos e uma prefeita; não sei quem tem a razão, só sei que somando todos os citados "prefeitos" chegamos a uma conta menor que zero. Triste que estejamos passando por esta situação, principalmente em um momento que deveríamos estar colhendo benefícios e não desviar nossa atenção para extrair ervas daninhas.