sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

QUINTA DAS VIOLAS COM IVANILDO VILANOVA E ZÉ VIOLA - VERSOS PRIMOROSOS



Ontem tive o prazer de assistir a uma programação cultural imperdível: a "Quinta das Violas", no auditório do SESC, com Ivanildo Vila Nova e Zé Viola. É a 25a edição de programação rrealizada pelo Clube da Viola, que tem como grande entusiasta o meu amigo Orlando Queiroz. Aliás, compareci ao evento através de convite feito por ele no Encontro de Profetas Populares em Quixadá.

Rever Ivanildo Vila Nova em ação nos versos foi de certa forma uma volta ao passado. Lembro que em 1994, quando do lançamento da reedição do livro "Eu sou o Cego Aderaldo", que foi realizado em minha gestão como secretário de cultura, contratamos o melhor cantador do nordeste para o evento. Era exatamente ele, que fez dupla à época com um dos irmãos Nonato. Conhecido por sua erudição e desenvoltura, ele fez grande homenagem a Cego Aderaldo, sob os aplausos de Mário Aderaldo, Geraldo Aderaldo, Rachel de Queiroz, entre outros presentes.

O tempo passou mas a capacidade criativa e intelectual de Ivanildo continua a mesma, aliás, muito melhor pelos fios de cabelo branco. Seu parceiro na dupla foi o piauiense Zé Viola, que tem uma bela voz e também fez bonito. Pela noite desfilaram todos os tipos de estilo de cantoria para alegria do bom público presente. O auditório estava repleto de admiradores. Lá encontrei o amigo Carlito, Hidário, Prof. Damasceno (UECE) e Veloso (IPHAN).

Achei bonito quando Zé Viola ressaltou em um de seus versos: "Se Deus Escuta o silêncio, quanto mais os gritos meus". Na hora do desafio que foi a parte mais envolvente com o público Ivanildo respondia as provocações de Zé Viola assim: "Eu só posso  perder para Zé Viola, se um colapso cardíaco me pegar" e "Piauí pode dar um cantador se eu voltar em outra reencarnação". Foi realmente uma noite memorável. Até para quem não aprecia cantoria, esta realizada com cancioneiros de tal estirpe seria agradável.