sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

MULHERES BELAS E ESPECIAIS - CLÁUDIA LEITTE





Esta cantora tem arrebentado por onde se apresenta. É uma carreira meteórica. Já tive o privilégio de assistir alguns shows dela e até participar em um bloco de micareta (Limofolia) puxado por esta deusa. Energia pura sem enrolação, coloca todo mundo para se mexer. E além de tudo é extremamente bela. Abaixo segue um pouco de sua biografia.

Claudia Cristina Leitte Inácio Pedreira ou simplesmente Claudia Leitte, nasce em São Gonçalo, interior do estado do Rio de Janeiro, em 10 de julho de 1980 e muda-se com a família, para Salvador ainda nos primeiros dias de vida. De São Gonçalo, guarda tênues recordações da casa da avó paterna, Dona Maria Creuza, onde passava alguns dias durante o ano, mas é no velho Largo da Saúde e nas ruas de calçamento irregular que vive boa parte da infância e começa a descobrir seu gosto pela música.

Aos 3 anos, Claudia Leitte dribla a vigilância dos pais, sobe no palco de uma churrascaria e, aproveitando o intervalo deixado pelo cantor que se apresentava, dispara no microfone “Emília, Emília, Emília...”, música tema do Sítio do Pica-pau Amarelo.

Embora tenha nascido em outro estado, Claudia Leitte se considera baiana, pois chega em Salvador ainda muito criança, para criar raízes numa terra rica no misticismo, na musicalidade, nas artes e na cultura. Chega e incorpora o jeito baiano de ser. Como boa 'baiana', Claudia Leitte gosta do tempero da terra, da culinária de origem africana, embora tenha verdadeira paixão pela comida japonesa, e não dispensa uma água de coco à mesa. Torce pelo Bahia, paixão que não esconde, mesmo quando o time estava na terceira pisão do futebol brasileiro e se não é, oficialmente, a madrinha do clube já ocupa esse lugar no coração da torcida.

A música vai entrando na vida de Claudia Leitte sem pedir licença. Menina ainda, 10, 12 anos, enquanto as coleguinhas têm os mais variados sonhos e propósitos na vida, ela segue firme com o sonho de ser cantora. Autodidata, compra revistas de partituras e se delicia dando seus primeiros acordes no violão e descobrindo que a paixão pela música acabaria se tornando uma história de amor eterno.

Mas voltando ao passado, aos 13 anos, vem a primeira chance e Claudia estréia como backing vocal do cantor e compositor baiano Nando Borges.


Claudia Leitte ingressa nas Faculdades de Música, de Direito e de Comunicação, mas o amor pela música definitivamente fala mais alto e Claudia opta pelo curso de Música. Contudo, o projeto não vai adiante, pois a carreira começa a se tornar uma realidade com o surgimento da Banda Violeta, uma banda de forró, onde Claudia dá os primeiros passos no palco e com uma atribulada agenda de trabalho vê-se obrigada a adiar, os planos de concluir uma faculdade.

Sua paixão pelos palcos ou apenas por um violão numa roda de amigos é indes critível como Claudia mesmo revela. Ao sair da Banda Violeta, Claudia junta alguns amigos e, na informalidade, forma a banda “Macaco Prego”. 'Não sei o que seria de mim sem a música. Só fiz Direito e Comunicação pela necessidade de estudar', diz ela.


O sonho de se tornar uma cantora profissional começa a ganhar forma em 2000, quando Cláudia Leitte passa a ser empresariada por Cal Adam e Manoel Castro. Claudia entra para a banda Nata do Samba, para pedir os vocais com o cantor Faustão, e no ano seguinte ingressa na CIA do Pagode, onde tem uma rápida passagem até se tornar a vocalista da Banda Babado Novo.

Um grande desafio. Levar adiante o já consagrado axé music, sinônimo de alegria e do carnaval da Bahia por todo o Brasil, misturado com o pop e inserido numa linguagem nova para fazer acontecer uma nova banda. Em novembro de 2001, Claudia Leitte e Babado Novo começam a tocar em cidades do Nordeste. Primeiro em casas noturnas para em pouco tempo conquistar os primeiros palcos no circuito dos carnavais for a de época. Assim nasce um dos maiores sucessos da música baiana na atualidade e que conquista rapidamente o Brasil inteiro.
 
Eleita a nova musa do carnaval baiano, Claudia Leitte recebe da Band FM os títulos de “Melhor banda”, “Melhor cantora” e “Melhor música – Exttravasa”, e da Rede TV e da rádio Piatã FM ganha os prêmios de “Melhor cantora”, consagrando-se definitivamente como intérprete nacional. Era o início da carreira solo que amplia o sucesso conquistado com o Babado Novo. Casada e com filho, ela está esbajando saúde e energia.
Fonte: claudialeitte.com.br