quinta-feira, 25 de junho de 2009

MEU ENCONTRO COM PAULO FREIRE



Fiz um trabalho como alfabetizador no Projeto BB-Educar do Banco do Brasil. Na época era funcionário do BB. Pelo desempenho na alfabetização de uma turma no bairro Campo Novo de Quixadá, fui convidado para participar de um curso de seleção de instrutores para a formação de novos alfabetizadores. Era o ano de 1994.O curso seria realizado durante três semanas, sendo uma semana teórica em Brasília e as outras duas em atividades práticas em diversas cidades pelo Brasil. Foi durante esta semana de aulas teóricas que soubemos que um dos dias seria reservado a um encontro com o educador Paulo Freire. Foi uma surpresa geral. Da surpresa veio a ansiedade para conhecer o grande mestre da educação. Éramos em torno de 35 na turma, sendo cinco do Ceará (Eu, Maria Aires, Vladimir, Gorete e Isabel).

Logo chegou o grande dia. Assistimos a uma palestra de diversos expositores, um dos quais Paulo Freire. Mais à tarde, o contato com Paulo Freire foi exclusivo da nossa turma. Ele chegou acompanhado de sua esposa. Era igualzinho como nas fotos: aquele velhinho com aparência de bonzinho, parecido com o papai noel. Fez um relato de sua trajetória de vida, do seu acreditar na educação, na contribuição coletiva de todos para um mundo melhor. Pediu para ouvir-nos. Solicitou que nós falássemos do nosso trabalho como alfabetizadores, de como estávamos sentindo em trabalhar como seu método. A princípio ficamos encabulados de falar de nossa experiência para tal relevante "mestre". Mas depois diversos dos componentes do curso puderam falar e expor seu trabalho. Isto deixou o Professor Paulo Freire emocionado. Parecia um menino a se deliciar com um bolo de chocolate. Pude falar do nosso trabalho no bairro Campo Novo e expor a importância de seu método para a compreensão das palavras e para o início da leitura dos alfabetizandos.

Depois da palestra e debate, o mestre não se furtou de tirar inúmeras fotos com todos nós. Era a imagem viva de dedicação, amor e humildade. Com certeza estas fotos estão penduradas em quadros nas casas dos privilegiados, entre os quais me incluo. Fomos realmente privilegiados, de poder conhecer de perto um exemplo de vida para o Brasil e para o Mundo.

foto: A foto me mostra quando expunha para Paulo Freire. Na mesa está também Professor Luiz Oswaldo.