quarta-feira, 17 de junho de 2009

PREÇO E VENDA DE LIVROS NO BRASIL


Apesar do setor editorial brasileiro ter uma série de incentivos, ainda estamos longe de popularizar a leitura para todos. Os preços dos livros são, na maioria das vezes, aviltantes para a maioria da população. Ressalte-se que existe imunidade para o papel destinado a livros, apostilas, revistas, etc. Mesmo com incentivos interessantes, as grandes editoras continuam a cobrar pelos seus produtos valores considerados altos para todos nós. Não é a toa que prolifera a indústria da fotocópia, haja vista que um estudante que seja um bom estudioso tem que ler pelo menos 20 livros por ano. Como comprar 20 livros por ano, com o poder de compra do brasileiro ?

Outra dificuldade do brasileiro é falta de bibliotecas nas cidades e bairros. Isso sem falar que as existentes deixam a desejar em quantidade e qualidade de livros.

Para os que tem condição de comprar algum livro, faltam livrarias no país. Existem apemas 2.700 livrarias em todo o país (fonte: Senado).

Uma opção interessante de livros de qualidade e preço extremamente acessóvel são as publicações do Senado Federal. Sem publicar livros de auto-ajuda ou de intensa divulgação na mídia, a livraria do Senado conquistou uma fatia do mercado editorial. Livros históricos, jurídicos, literários são muitas vezes considerados campeões de vendas para o padrão brasileiro(ver mais senado.gov.br).

De qualquer jeito foram vendidos em 2007 o número de 329 milhões de livros. Mesmo com os altos preços e as dificuldades apontadas, temos tido um acréscimo na leitura. Mas ainda temos uma média de leitura bem baixa se compararmos a média brasileira com a de outros países:
- 2,4 livros por ano (Brasil)
- 10 (EUA)
- 10 (França)
- 15 (países nórdicos).