segunda-feira, 28 de setembro de 2009

CARTA ABERTA - COMUNICADO


Quixadá, 28 de setembro de 2009

Amigas e amigos,


É do conhecimento de muitos a minha insatisfação com os rumos tomados dentro do Partido dos Trabalhadores em Quixadá. Nos últimos tempos tenho feito uma reflexão, acerca da decisão a ser tomada por mim dentro do âmbito partidário. A cada dia que passo percebo ideais, projetos e propostas, que tanto sonhei e me dediquei serem esquecidos; trocados por práticas atrasadas. Estas alterações me fizeram decidir por um novo caminho político.

No início tive conversas dentro de minha família. Depois fui ampliando para amigas e amigos, companheiros de trajetória política e de amizade. Ponderei e discuti sobre as alternativas a serem seguidas. Ficar no PT e partir para um enfrentamento no debate interno foi uma hipótese em que me debati e que muitos defendiam. A decisão não foi para mim uma coisa fácil. Ao contrário, foi difícil definir pela saída de um partido em que vivi toda a minha militância política. Foram 16 anos de filiação. Uma história de vida marcada pela busca de construir um Quixadá mais justo, mais equitativo, com mais inclusão social.

Exerci com zelo e dedicação todos os cargos e atribuições em que representei o partido. Fui presidente municipal, líder de bancada, vereador, vice-prefeito, prefeito, coordenador de campanhas eleitorais, etc.; sempre exercendo todas estas atribuições com muita paixão e desprendimento pessoal. Chegou o momento de percorrer um novo caminho. Sou sabedor das dificuldades; sou ciente do que irei enfrentar. Entretanto, sempre seguirei o que acredito, aliás, como sempre fiz em minha vida.

Comunico-lhes minha decisão de deixar o Partido dos Trabalhadores. É uma decisão amadurecida, mas que mesmo assim me exigiu firmeza, pois não é fácil abandonar um espaço que tantas alegrias me deram.

Em uma cidade de importância como a nossa não há espaço para um cotidiano de assistencialismo e desvios éticos. Vivemos em um momento democrático em que transparência, legalidade, impessoalidade, moralidade e eficiência são princípios presentes em nossa Constituição. Devem estar sempre presentes no dia a dia da administração pública.

Lamento que dirigentes de nossa cidade tenham se desviado de sua trajetória. Não podemos como que de repente, esquecermos de nossa história e passarmos a ser os arautos da exploração, do proselitismo, da demagogia. Não, não podemos. Temos de seguir o caminho muitas vezes mais tortuoso, com mais sacrifício pessoal, mas não podemos de esquecer do motivo que nos fez ingressar na política: lutar por cidades melhores.

Enfim, gostaria de agradecer aos muitos amigos que fiz dentro do Partido. Tenho uma gratidão a todos com que debati, com que estabeleci parcerias, com quem reguei amizades. A situação política pode nos deixar distantes, mas como conheço vocês, estaremos sempre juntos na ética, na honestidade, em sonhar por dias melhores.

Não é um momento de despedida, mas de um novo começo.

Que Deus abençoe e guarde nossas vidas.

Saudações,

Cristiano Goes