quarta-feira, 14 de outubro de 2009

QUOTA DE MULTAS DA PREFEITURA É DESTAQUE NA IMPRENSA CEARENSE

Quixadá foi destaque dos mais diversos programas jornalísticos e nas rádios cearenses. Não foi pela beleza dos monólitos, pela poesia de Rachel de Queiroz ou pela majestade do Açude Cedro. O fato em destaque foi o estabelecimento de uma quota de multas para os agentes de trânsito aplicarem, chova ou faça sol, tenham infratores ou não. Caso contrário, seria descontado do contracheque do agente se ele não cumprir a sua "quota" de aplicação de multas. Já pensou se essa moda pega. Era multa para todo lado. Não ia escapar quase ninguém.

No popular programa de rádio do Paulo Oliveira, hoje pela manhã, escutei o desabafo do radialista e do seu parceiro Tom Barros. Este afirmou que "é um crime o que estão fazendo. O Ministério Público tem que tomar uma providência contra esta irresponsabilidade".

As gravações que foram divulgadas em alguns sites e na TV Jangadeiro chamaram a atenção do grande público para esta gritante ilegalidade. Ressalte-se que o DMT, segundo seus agentes, está passando por um verdadeiro tsunami de arbitrariedades. Isso sem falar da falta de condições que o órgão está passando. Ademais, deslocaram guardas civis municipais temporários para a função de agentes, o que é mais uma ilegalidade. Só podem aplicar as penalidades de multas, servidores do quadro efetivo específico do município. Resumindo, qualquer multa aplicada por alguém que não seja devidamente credenciado é totalmente nula.

Não sei quais as providências que serão tomadas pela administração municipaI, que até agora não apresentou justificativas plausíveis. Sei apenas que esta gestão está tomando um rumo cada vez mais entristecedor. A incompetência, a falta de compromisso, a arbitrariedade, tudo isto parece estar contaminando de forma irrecuperável a administração. Quixadá não merece isto.