domingo, 23 de agosto de 2009

CONVIDADO A SAIR...

Aconteceu o pior cenário para o atual presidente do PT. Ficou totalmente isolado dentro de seu partido e teve que abrir mão de sua candidatura à reeleição. Ilário foi eleito com o discurso de mudança, de correção dos rumos da direção partidária. Seria uma administração independente e construtora de alternativas para o estado do Ceará. Teve o apoio de diversas correntes do partido e conseguiu derrotar o grupo politico do deputado Guimarães com uma pequena margem de votos.
O tempo passou e as coisas não aconteceram como ele realmente queria. A gestão de seu mandato à frente do partido nada trouxe de novo, a não ser as constantes rusgas com o Governador Cid Gomes. Não se tornou um interlocutor do governo estadual; muito pelo contrário, configurou-se em seu feroz crítico.
A briga com o governador, porém não interessava a ninguém do PT. Afinal, Cid tem amplas possibilidades de reeleger-se e não traria nenhum dividendo às correntes petistas, conflito com o Governo tão perto da eleição estadual.
O abandono de Ilário explica-se pelo interesse do PT em manter-se a parceria com o PSB (Ferreira Gomes), mas também pelos inúmeros inimigos que angariou ao longo de sua carreira política. Traição ou "esquecimento" de acordos; abandono de aliados; rompimento de compromissos; tudo isto marcou sua trajetória. Dessa forma, não são poucos os que veem com simpatia sua derrota no PT.