quinta-feira, 21 de maio de 2009

CAFÉ DA MANHÃ COM TOM BARROS E PAULO OLIVEIRA



Desde que estou passando uma temporada aqui por Fortaleza venho sintonizando as rádios em busca de encontrar as minhas favoritas. Como sou um inveterado pelas notícias entro no carro e busco logo encontrar uma emissora que esteja no momento de apresentação de um jornal. Pelas manhãs, saio cedo em direção ao Master, onde faço um curso preparatório da Receita Federal, e fico trocando de sintonia. Resisti a princípio a ficar ouvindo o Programa Paulo Oliveira, talvez até por preconceito, pela preferência política do apresentador que vai de encontro a minha. Mas fui ficando na escuta. O bom papo, a boa prosa, os "causos" foram me cativando. O bate-papo de Paulo com Tom Barros nos deixa tão à vontade que parece que estamos na mesma mesa saboreando o café da manhã. O estilo mais sério e religioso de Tom se mistura ao jeito moleque e cearense de Paulo. É a junção do feijão com o arroz, do café com o leite, da cachaça com o mel. É realmente desestressante, mesmo no trânsito louco de Fortaleza, ouvir a conversa deles. Escutar Tom Barros falando com seu jeito de seriedade e ao mesmo tempo ver ressoar aquela risada gostosa do Paulo nos faz ver que a vida é feita para se viver com alegria, apesar dos inúmeros problemas. Quando não os escuto de manhã parece que faltou alguma coisa. A presença destes dois comunicadores do rádio enaltece e revigora este velho e genuíno instrumento de comunicação.

Hoje, ao ouvir o bate papo, me peguei a dar uma gargalhada sozinho com o tema da conversa. A mulher que estava com o carro ao meu lado no sinal, me olhou com uma cara que parecia dizendo: "Esse aí amanheceu meio doido". E eu nem aí para ela continuei sintonizado no programa, imaginando como se estivesse à mesa com os dois.