sábado, 9 de maio de 2009

FELIZ DIA PARA AS MÃES DO MUNDO.


As mais antigas celebrações do Dia da Mãe remontam às comemorações primaveris da Grécia Antiga, em honra de Rhea, mulher de Cronos e Mãe dos Deuses. Em Roma, as festas comemorativas do Dia da Mãe eram dedicadas a Cybele, a Mãe dos Deuses romanos, e as cerimônias em sua homenagem começaram por volta de 250 anos antes do nascimento de Cristo.Durante o século XVII, a Inglaterra celebrava no 4º Domingo de Quaresma (40 dias antes da Páscoa) um dia chamado “Domingo da Mãe”, que pretendia homenagear todas as mães inglesas. Neste período, a maior parte da classe baixa inglesa trabalhava longe de casa e vivia com os patrões. No Domingo da Mãe, os servos tinham um dia de folga e eram encorajados a regressar a casa e passar esse dia com a sua mãe.
À medida que o Cristianismo se espalhou pela Europa passou a homenagear-se a “Igreja Mãe” – a força espiritual que lhes dava vida e os protegia do mal. Ao longo dos tempos a festa da Igreja foi-se confundindo com a celebração do Domingo da Mãe. As pessoas começaram a homenagear tanto as suas mães como a Igreja.Nos Estados Unidos, a comemoração de um dia dedicado às mães foi sugerida pela primeira vez em 1872 por Julia Ward Howe e algumas apoiantes, que se uniram contra a crueldade da guerra e lutavam, principalmente, por um dia dedicado à paz.
A maioria das fontes porém é unânime acerca da idéia da criação de um Dia da Mãe. A idéia partiu de Anna Jarvis, que em 1904, quando a sua mãe morreu, chamou a atenção na igreja de Grafton para um dia especialmente dedicado a todas as mães. Três anos depois, a 10 de Maio de 1907, foi celebrado o primeiro Dia da Mãe, na igreja de Grafton, reunindo praticamente família e amigos. Nessa ocasião, a sra. Jarvis enviou para a igreja 500 cravos brancos, que deviam ser usados por todos, e que simbolizavam as virtudes da maternidade. Ao longo dos anos enviou mais de 10.000 cravos para a igreja de Grafton – encarnados para as mães ainda vivas e brancos para as já desaparecidas – e que são hoje considerados mundialmente com símbolos de pureza, força e resistência das mães.
Acho que se um dos motivos para homenagear as mães era aquecer o comércio, foi mais do que justo. É um dia em que dizemos obrigado as nossas mães por tudo que fizeram em nossa vida. É momento de demonstrar o amor que temos por ela pelo menos nesse dia. Dias atrás encontrei uma amiga e ela me falou da alegria de ter tido um filho este ano. Falava de como viu nascer o sentimento de amor pelo filho, de como este sentimento passou a ser o preponderante em sua vida, acima de quaisquer outros objetivos. Por tudo isso, nada mais justo que homenagear nossas mães. Estas que não se cansam nunca de demonstrar amor.
Este poema de autor desconhecido traduz tudo.



Obrigado , Senhor , pela mãe que você me deu ......
por todas as Mães do mundo...
pelas mães brancas , de pele alvinha ......
pelas pardas , morenas ou bem pretinhas ......
pelas ricas e pelas pobrezinhas ......
pelas mães - titias , pelas mães -vovós , pelas madrastas -mães , ...
pelas professoras - mães ......
pela mãe que embala ao colo o filho que não é seu ......
pela saudade querida da mãe que já partiu ......
pelo amor latente em todas as mulheres , que desperta ao sentir desabrochar em si uma nova vida ......
pelo amor , maravilhoso amor que une mães e filhos ...
Eu lhe agradeço , Senhor !

Autor desconhecido
OBS: A foto me mostra no meio das mães mais antigas e queridas de minha família (minhas tias e na direita minha genitora).Com certeza você tem muitas a homenagear em sua família. Demonstre seu amor por ela amanhã.